Conteúdo Principal
UFF - Universidade Federal Fluminense

13º INTERCULTURALIDADES - INVENTAÇÃO

De 20/09/2023 a 01/10/2023

 

Com o tema "inventação", evento celebra artes e cultura brasileira, em programação elaborada pelo Centro de Artes UFF e da Fundação de Arte de Niterói. Com atrações inteiramente gratuitas.

Convidando o público a brincar de inventar e reinventar o Brasil - um país de muitos, através das artes - o Festival Interculturalidades: Inventação inaugura no dia 20 de setembro sua 13ª edição. Historicamente realizado pela Universidade Federal Fluminense, por meio do Centro de Artes UFF, o evento deste ano compõe a agenda conjunta prevista entre a Fundação de Arte de Niterói (FAN) e a UFF, após ser firmado acordo de cooperação técnica entre as instituições. A parceria, de caráter científico, artístico e cultural, tem como objetivo fortalecer o vínculo das políticas culturais com os territórios e a cidade, movimentando a cena artística de Niterói.

O Interculturalidades de 2023 prevê múltiplas expressões culturais, como shows, apresentações teatrais, conferências, cursos e desfiles, exaltando a diversidade e o encontro de diferentes matrizes da cultura. Entre os destaques da programação estão os músicos Tom Zé, Rico Dalasam, N.I.N.A, Cátia de França, Juçara Marçal, Mestrinho e Hamilton de Holanda, Ronaldo do Bandolim, Nei Lopes, Amir Haddad e mais...

Outro destaque é o piauiense Antônio Bispo dos Santos, mais conhecido como Nêgo Bispo, uma das principais vozes do pensamento das comunidades tradicionais do Brasil da atualidade.

A moda periférica, que assume o protagonismo nacional e internacional como um referencial estético contemporâneo, também estará em evidência na programação com a participação de Jeanderson Martins (Abacaxi) e Abrilhante.

Para o superintendente do Centro de Artes UFF, essa edição do evento reafirma a pluralidade de olhares num cenário muito especial de reconstrução de horizontes do Brasil. "É um momento de plena afirmação da cultura, da diversidade e da diferença. E foi a partir dessa tônica que a programação foi construída, apontando para a confluência das artes, dos saberes da vida e das vozes dos vários cantos do país. É isso que queremos celebrar." O presidente da Fundação de Arte de Niterói, Fernando Brandão, destaca a relação do projeto com a cidade, uma vez que as atividades envolvem o Centro de Artes UFF, a Sala Nelson, o Museu Janete Costa e ocupação de espaços urbanos.

"É muito importante para nós da FAN valorizar o reconhecimento desse saber tradicional e promover uma troca entre artistas de renome e tradicionais com os músicos e a comunidade local. A prefeitura reconhece a importância de ocuparmos os equipamentos culturais, mas também os territórios, praças e ruas. Então, estaremos não só em frente a UFF, como também as ruas em frente ao Solar do Jambeiro e do Museu Janete Costa de Arte Popular. Esse é o resultado da integração dessas duas potências que são o Centro de Artes UFF e a Fundação de Arte de Niterói."

O Festival Interculturalidades: Inventação acontece do dia 20 de setembro ao dia 01 de outubro, com atrações inteiramente gratuitas.



20/09 - QUARTA-FEIRA


Galeria de Arte UFF
17h - Abertura da Exposição "A Ponte"
Artistas: JAMEX, Telma Gadelha e Thiago Almeida.

Espaço de Fotografia da UFF
17h - Abertura da Exposição "Afetividades e olhares"
Artistas: Aziza Xavier (Minas Gerais), Marcela Bonfim (Rondônia), Raquel Bacelar (Bahia), Cristal Luz (Alagoas), Raquel Gandra (Rio de Janeiro), Daniela Paoliello (Minas Gerais), Ilana Bar (São Paulo), Ana Mendes (Amazonas/São Paulo), Marília Oliveira (Ceará), Isabella Lanave (Curitiba), Ingrid Barros (Maranhão), Dayse Euzébio (Paraíba).

Espaço Aberto UFF
17h - Abertura da Exposição "No Princípio Era o Barro"
Artistas: ADV - Alberto Vianna, Andréa Sartori, Anélia Demetri, Angela Mello, Bia Araújo, Cláudia Coirolo, Cláudia Ferreira, Cris Coutinho, Cristina Silveira, Evelyn Noël, Fátima Bevilacqua, Francisco Saracchini, Heloiza Helena, Jane Marcy, Jéssica Morais, Keiko Mayama, Kel Velzi, Lubar, Ludwig Moldan, Marina Sepulvida, Paula Marins Riveiro, Ronildo Alves, Sid Kaneko, Sonia Maria, Stella Máris Marques, Suen, Tânia Mara Aguiar, Vívian Siqueira



Jardim da Reitoria da UFF
18h - Vídeo mapping na fachada da Reitoria 
18h30 - Abertura Institucional
19h - Show Hamilton de Holanda + Mestrinho
Abertura: Ronaldo do Bandolim

O encontro do multipremiado, improvisador e instrumentista carioca (de vivência brasiliense) Hamilton de Holanda com o virtuoso sergipano Mestrinho, improvisador, sanfoneiro e cantor é um retrato das raízes da Música Popular Brasileira. Esses dois gigantes de cabelos encaracolados que já dividiram palco com músicos que vão de Wynton Marsalis a Gilberto Gil, de Chico Buarque a Ivete Sangalo, de Hermeto Pascoal a Dave Mathews, são verdadeiros guardiães de nossa tradição, estandartes de referências como Villa lobos, Chiquinha Gonzaga, Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Tom Jobim, João Gilberto, Gonzagão, Dominguinhos, Sivuca, entre muitos outros.

O encontro do multipremiado, improvisador e instrumentista carioca (de vivência brasiliense) Hamilton de Holanda com o virtuoso sergipano Mestrinho, improvisador, sanfoneiro e cantor é um retrato das raízes da Música Popular Brasileira. Esses dois gigantes de cabelos encaracolados que já dividiram palco com músicos que vão de Wynton Marsalis a Gilberto Gil, de Chico Buarque a Ivete Sangalo, de Hermeto Pascoal a Dave Mathews, são verdadeiros guardiães de nossa tradição, estandartes de referências como Villa lobos, Chiquinha Gonzaga, Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Tom Jobim, João Gilberto, Gonzagão, Dominguinhos, Sivuca, entre muitos outros.

Ronaldo do Bandolim ainda adolescente, no fim dos anos 60, cria com amigos músicos e cantores regionais de Niterói, para onde veio residir, o grupo "Os Jovens da Velha Guarda". A partir dos anos 70 até aos dias de hoje, serão inúmeras apresentações em tv, gravações, concertos, filmes, shows e DVD’s. Optando pela pesquisa do choro e clássicos brasileiros, adquire novos conhecimentos e passa a integrar o mais famoso conjunto de choro, o "Época de Ouro", em 1974, com o espetáculo "Sarau", de grande repercussão, com Paulinho da Viola, Elton Medeiros e o Jornalista Sérgio Cabral. Com este conjunto, realiza diversas apresentações pelo Brasil e exterior, culminando com a participação no 1º Free Jazz Festival em 1985 e no projeto Brasil Musical em 1994 e 1995. Durante este longo período, participou de eventos ao lado de consagrados artistas como Silvio Caldas, Cartola, Nelson Cavaquinho, Clara Nunes, Elizeth Cardoso, e instrumentistas como Altamiro Carrilho, Abel Ferreira, Waldir Azevedo, Rafael Rabello, Arthur Moreira Lima e outros grandes músicos atuais. Nos anos 90, grava com Marisa Monte e cria uma das melhores novidades do universo instrumental, o "Trio Madeira Brasil", ao lado dos violonistas Zé Paulo Becker e Marcello Gonçalves, cujo primeiro CD é indicado como o melhor disco e grupo na premiação Sharp de 1999. A excelente repercussão leva o trio a diversos concertos no Brasil e exterior e uma apresentação no projeto "Chorando Alto", no SESC Pompeia SP, ao lado do músico e compositor Egberto Gismonti.


21/09 - QUINTA-FEIRA


Teatro da UFF
17h - Conferência “Semear Palavras” - Nêgo Bispo  
Confluências, contracolonialismo, cidades e cosmofobia

Moderação: Janaina Dias

Antônio Bispo dos Santos nasceu em 1959 no vale do rio Berlengas, Piauí. Lavrador, formou-se com os saberes de mestras e mestres do Quilombo Saco Curtume, no município de São João do Piauí, e foi o primeiro de sua família a ser alfabetizado. Desde cedo, foi incumbido de desenvolver a habilidade de traduzir para a escrita a sabedoria de seu povo e mediar as relações com o Estado, cuja violência se manifesta, também, pela invalidação da oralidade. Como liderança, atuou na Coordenação Estadual das Comunidades Quilombolas do Piauí (Cecoq/P1) e na Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (Conaq).

Sua atuação política nos movimentos de luta pela terra ancora-se na cosmovisão dos povos contracolonizadores.

Nêgo Bispo, como também é conhecido, é autor de vários artigos, poemas e do livro Colonização, Quilombos: modos e significações (UnB/INCTI, 2015), além de coordenador da coleção Quatro Cantos (n-1 edições, 2022). Na revista PISEAGRAMA publicou os ensaios Modos quilombolas

(2016) e Somos da terra (2018). Tem realizado palestras, conferências e cursos por todo o Brasil. É professor convidado do Encontro de Saberes da UnB/INCTI e da Formação Transversal em Saberes Tradicionais da UFMG.

Cine Arte UFF
18h10 - Filme XINGU CARIRI CARIOCA CARUARU
MOSTRA INVENTAÇÃO: O CINEMA, OS ENCONTROS E A MÚSICA BRASILEIRA

Brasil, 2015, 92’, Livre
De Beth Formaggini

O encontro é nosso ponto de partida. A troca entre as chamadas "culturas populares" e a "cultura pop". Xingu Cariri Caruaru Carioca promoverá um encontro entre mundos diversos e ao mesmo tempo confluentes. Carlos Malta vai buscar as raízes do pife, mas também perceber as suas transformações, o seu contexto e as suas interdependências com a música contemporânea.

Teatro da UFF
20h - Show Casuarina canta Jackson do Pandeiro
Abertura: MUSA - Mulheres no Samba de Niterói

O grupo Casuarina apresenta um tributo ao "Rei do Ritmo", Jackson do Pandeiro, falecido em 10 de julho de 1982. Saudoso artista centenário, será homenageado no show intitulado "Casuarina canta Jackson do Pandeiro". Jackson do Pandeiro (José Gomes Filho), que teve seu centenário de nascimento completo em 2019, é natural de Alagoa Grande, no estado da Paraíba, e veio ao mundo em uma família que vivia da arte popular, já que sua mãe Flora Mourão era uma versadora e cantadora famosa e requisitada na região. Os shows serão recheados desses muitos sambas que ele gravou durante a carreira”, explica o músico e compositor Gabriel Azevedo, fundador do 'Casuarina' e diretor musical do espetáculo. Um fato interessante é que Jackson do Pandeiro esteve presente desde os primórdios do nascimento do grupo Casuarina compondo o repertório do primeiro álbum, lançado há 17 (dezessete) anos em 2005; CD de estreia 'Casuarina' com um pout-pourri de 5 (cinco) canções de Jackson do Pandeiro ("Quadro Negro" e "Babá de Cachorro" entre elas).



22/09 - SEXTA-FEIRA


Cine Arte UFF
17h30 - Filme ANDANÇA - OS ENCONTROS E AS MEMÓRIAS DE BETH CARVALHO
MOSTRA INVENTAÇÃO: O CINEMA, OS ENCONTROS E A MÚSICA BRASILEIRA

Brasil, 2022, 110’, 12 anos
De Pedro Bronz

Beth Carvalho, a “Madrinha do Samba”, foi uma das maiores intérpretes do Brasil e ajudou a revelar grandes nomes e a revitalizar o gênero musical. O filme se debruça no vasto acervo de imagens documentadas por Beth Carvalho, ao longo dos seus 53 anos de palcos e pagodes, para traçar um recorte único e íntimo da carreira e vida dessa singular figura da cultura nacional. Prêmio de Melhor Filme pelo júri popular no 17º Fest Aruanda, em João Pessoa/PB.

Teatro da UFF
20h - Espetáculo "Pedra doce - Poética de Cora Coralina" Companhia de Ballet de Niterói

Pedra Doce - Poética de Cora Coralina é o espetáculo da Companhia de Ballet da Cidade de Niterói que fala da simplicidade na poesia e vida de Cora Coralina. O diretor artístico Fran Mello concebeu o espetáculo buscando correlacionar a escrita de Cora, seus ímpetos e necessidades em escrever, com a dos corpos dos bailarinos ao ler (ou ouvir) seus poemas. Todas as células coreográficas foram criadas pelos próprios bailarinos em um atravessamento promovido pelos poemas de Cora durante os ensaios. Por se autointitular doceira, o nome “Pedra Doce” remete ao fato de que o açúcar utilizado para glacear suas frutas, após dias secando ao sol, viravam pedras deliciosas. Na plateia, o público será contagiado com o aroma do doce de coco feito em cena. A dramaturgia do espetáculo foi conduzida pela coreógrafa Ana Vitória Freire com o intuito de replicar a vida simples de Cora, mas reconhecendo sua potência como uma mulher à frente do seu tempo.


23/09 - SÁBADO

Cine Arte UFF
16h - Cine Orquestra: O Circo - Chaplin com Soundpainting Rio



Museu Janete Costa e Solar do Jambeiro
18h - Abertura Exposição  "A Ponte"
Abertura com apresentação musical: Grupo Mandalla
Artistas: JAMEX, Telma Gadelha, Thiago Almeida e Acervo Janete Costa.



24/09 - DOMINGO

Cine Arte UFF
11h - Concerto OSN Popular - Entre Mestres
Músicas de Hermeto Paschoal, Tibor Fittel e Luiz Gonzaga
Participação Batuquebato, Tibor Fittel, Carlos Malta e Camila Marlière.
Regente: Rafael Barros Castro

A música brasileira se reinventa o tempo todo, nos muitos cruzamentos tímbricos que une variados instrumentos em arranjos infinitos. Alinhado nesse pensamento, o repertório que a OSN UFF apresentará no dia 24 de setembro abre com Gonzaguiana, um arranjo de Cyro Pereira para alguns clássicos do mestre Luiz Gonzaga, e segue com quatro peças de outro mestre - Hermeto Pascoal -, arranjadas por Rafael Barros, prossegue com obras de Tibor Fittel e termina com dois sambas de mais um mestre - Noel Rosa, também com arranjos de Rafael Barros. O concerto terá as participações especiais de Carlos Malta (pífanos), Tibor Fittel (acordeon), Camila Marlière (voz) e o grupo Batuquebato (percussão).

Cine Arte UFF
18h10 - Filme ALELUIA - O CANTO INFINITO DO TINCOÃ
MOSTRA INVENTAÇÃO: O CINEMA, OS ENCONTROS E A MÚSICA BRASILEIRA

Brasil, 2019, 70’, Livre
De Tenille Bezerra

Acompanhando o processo de composição do segundo disco de Mateus Aleluia, o filme se lança na construção de um imaginário em torno da obra e da vida do artista. Dialética de partidas e chegadas, o filme articula a obra musical de Mateus com sua memória afetiva tecendo uma delicada trama que conecta distintos lugares e temporalidades.


Teatro UFF 
19h - Espetáculo Kabaret KarióKa - Teatro de Anônimo


25/09 - SEGUNDA-FEIRA

Teatro da UFF
10h - Oficina de Percussão com Batuquebato

A Orquestra de Ritmos Batuquebato nasceu da ideia do músico e arranjador Gabriel Policarpo ao tratar uma bateria de escola de samba como uma orquestra. A partir de sua influência no samba e das pesquisas que realizou pelo Brasil, Gabriel compõe arranjos para os instrumentos populares do samba carioca, como surdos, caixas, repiques, pandeiros, tamborins, chocalhos que se mesclam a instrumentos de cordas e sopros, e por vezes, programações eletrônicas.

Inscrição oficina Batuquebato: https://forms.gle/frwKigiNUEc7EgYV9

Cine Arte UFF
18h10 - Filme CINEMA NOVO
MOSTRA INVENTAÇÃO: O CINEMA, OS ENCONTROS E A MÚSICA BRASILEIRA

Brasil, 2016, 92’, 12 anos
De Eryk Rocha

CINEMA NOVO é um ensaio poético que investiga um dos principais movimentos cinematográficos latino-americanos, através do pensamento e fragmentos de filmes dos seus principais autores. O filme mergulha na aventura da criação de uma geração de cineastas que inventou uma nova forma de fazer cinema no Brasil – a partir de uma atitude política que juntava arte e revolução – e que tinha como desejo um cinema que tomasse as ruas e fosse ao encontro do povo brasileiro.


Teatro da UFF
20h - Show JOCA
Abertura: Yannick Hara e a Terra em Transe 



26/09 - TERÇA-FEIRA


Teatro da UFF
20h - Show Tom Zé - Língua Brasileira
Abertura: Roseira D’água - 19h - Jardim da Reitoria da UFF

O show Língua Brasileira é parte de um projeto que contempla, além da criação musical, a pesquisa em linguagem teatral, letras, antropologia e outras disciplinas. Para realizá-lo, Tom Zé e Felipe Hirsch estudaram os primórdios da língua falada no Brasil, com a contribuição de dezenas de acadêmicos e especialistas em idiomas diversos – como o tupi, o kimbundo, o celta e o protoindo-europeu. Eles conduziram a investigação atentos às especificidades brasileiras, no que diz respeito à disseminação da língua portuguesa e suas fusões históricas.

27/09 - QUARTA-FEIRA

Cine Arte UFF
17h - Mesa - Moda, performance e música: Afirmação de um modo de existir
Afirmação de uma estética popular que toma protagonismo no mainstream a partir de fortes produções artísticas e estéticas nos campos da música, da moda e da performance oriundos das periferias. Nesta mesa serão apresentados três referências da produção contemporânea artístico-performático-musical que irão compartilhar seus processos de criação e debater sobre as disputas e tensões da afirmação, produção e distribuição de seu trabalho.  

Lua Brainer - Ballroom
Estudante de Teoria da Dança,pesquisadora de  Transafropespectivismo da perfomance e gênero e etnias. Lua é moradora do complexo da maré e uma Legendary dentro da Cultura Ballroom Brasileira. Formada em Políticas Públicas traz diversos prêmios e também realizações de palestra e é educadora nas casa das mulheres.

Leo Justi - Heavy Baile
Desde 2013, vem desenvolvendo o projeto Heavy Baile, Label que mescla música, vídeo, dança e produção de eventos, além de investir em novos artistas como MC Tchelinho, Larinhx, Slipmami e Ebony. Além disso, tem no currículo colaborações com artistas como M.I.A., Danny Brown, Karol Conka, Attooxxa, MC Carol e Emicida. O Heavy Baile, entre festas próprias, shows e lançamentos de clipes sempre fora do padrão do Funk, conquistou o mercado alternativo, o que levou o show a festivais como Rock In Rio, Bananada, MITA, Coquetel Molotov e participações especiais em duas edições do Lollapalooza. O mercado publicitário regularmente recorre a Leo Justi em buscas de trilhas autênticas e impactantes, como foi o caso de "Larga O Aço" (NIKE - Copa do Mundo 2018); "Back It Up Drop It" (Samsung 2019); "Swipe It Off* (UEFA) e "Hoje Eu To Facin" (Ferragamo). Como DJ, já se apresentou em palcos renomados como Le Bain e Brazil Summer Fest em Nova York, Fosfobox (Rio de Janeiro) e Festival Vive Latino (Cidade do México).

Taísa Machado - Afrofunk 
Taísa Machado é atriz, roteirista, pesquisadora apaixonada pelo universo periférico carioca e curte mapear tendências de comportamento, estéticas e artísticas da cultura preta.

Fundadora da Afrofunk Rio, plataforma de experiências e conteúdos para o movimento funk carioca que atua principalmente em dança, utiliza dessa ferramenta como tecnologia social e o corpo como fonte de conhecimento e inspiração. Com foco em memória, empoderamento racial e de gênero, as ações valorizam a produção artística e intelectual das favelas e periferias do Rio de Janeiro. 


Galeria de Arte UFF
19h - Desfile-performance com Abacaxi (Pina Modas) e ABrilhante. part. Dj Ellen Kelen
A moda periférica assume o protagonismo nacional e internacional como um referencial estético brasileiro contemporâneo. O desfile-performance propõe realizar uma mostra da produção estilística carioca (Vila Kennedy) e niteroiense (Morro do Palácio) que encantam e compõem estilos que extrapolam as barreiras sociais, territoriais e que afirmam um modo de ser. O setlist do desfile fica por conta da Dj Ellen Kellen.

Jeanderson Martins (Abacaxi), cria da Vila Kennedy e carioca dos anos 1990 e 2000, é o criador da Loja Piña. Conhecido como Abacaxi, é um dos criadores mais comentados no universo da moda, principalmente após produzir o look de Anitta em seu aniversário. Abacaxi afirma a estética periférica em seus trabalhos de criação e tem chamado atenção com desfiles-performance realizados em locais não convencionais, como os trens da Central no Brasil, nos Arcos da Lapa e em galerias de arte.

Abrilhante, 23 anos, originária do Norte, veio do Amapá para o Rio de Janeiro em 2019, em busca de independência artística e pessoal. Atua enquanto artista crocheteira e pesquisadora independente em moda, já tendo produzido peças para Iza, Erykah Badu, Marina Sena, Mari Gonzalez, Urias e para a capa da Glamour digital com Ana Clara. Atualmente reside em Niterói, no morro do Palácio. Em 2021 criou a marca abrilhante com a proposta de mostrar o crochê como arte visual e moda. Sua produção artística perpassa a herança cultural do crochê por parte de sua família. A artista questiona a tradição do crochê, criando peças com novas características da moda contemporânea, representando desde a cultura underground, a produção editorial e a utilização de formas de grafismos em sua pesquisa.

Dj Ellen Kellen, cria da baixada mas também representando a zona norte, Dj Ellen Kellen é apaixonada pelo funk carioca, e começou a atuar na cena universitária onde estudava, com a intenção de compartilhar seu repertório proibidão. Durante a pandemia, lançou o projeto Solta Essa P*ranha Que Tem Dentro de Você, misturando o pancadão com os hits do pop e hip-hop somente de artistas mulheres. A partir dali, tocou em festas importantes como Wobble e outros eventos pelas noites do Rio, além de se formar pelo curso de discotecagem Urban Work The Responsa e passar pelo ciclo III da resistência artística Estude O Funk.


Teatro da UFF
20h - Show Rico Dalasam - Escuro Brilhante

Rico Dalasam ingressou no rap nacional, tornando-se uma das principais apostas da música nacional contemporânea. Lançou em 2015, seu primeiro trabalho o EP "Modo Diverso", reunindo seis músicas autorais que narram suas experiências de vida enquanto jovem, negro e gay, morador da periferia da Grande São Paulo.

Após três anos da estreia de DDGA (Dolores Dala Guardião do Alívio), o disco que refrescou tudo o que Rico Dalasam vem fazendo desde 2016, para o início deste ano, o artista prepara sua nova turnê intitulada "Escuro Brilhante", nome também de seu novo álbum que está previsto para 2023. Algumas canções já foram reveladas em seu último EP "Fim das Tentativas"e também já fazem parte de seus shows, mas outras inéditas serão lançadas nos próximos meses e farão parte da tour e do disco. As rimas de intervalos quebrados se encontrarão com violões cavacos e guitarras nesse novo show! Rico Dalasam convida todos para sua mais novo romance: Escuro Brilhante.

Abertura: BIAB

BIAB é uma artista preta da zona norte carioca que traz consigo influências de voz e violão, mas também aposta na combinação de estilos: R&B e Soul permeiam sempre suas canções. Em 2021, lançou seu EP "Lado B" de 7 faixas autorais, que hoje soma mais de 1 milhão de streams no Spotify. Já em 2022, a artista apresenta a música "Pedra do Sal" através do projeto internacional COLORSxSTUDIOS, que abre caminhos no segmento dos afrobeats para a estreia do EP "LAPA", um projeto que foca na vivência da cultura black da cidade do Rio de Janeiro.


28/09 - QUINTA-FEIRA

Cine Arte UFF
17h30 - Filme ANDANÇA - OS ENCONTROS E AS MEMÓRIAS DE BETH CARVALHO
MOSTRA INVENTAÇÃO: O CINEMA, OS ENCONTROS E A MÚSICA BRASILEIRA

Brasil, 2022, 110’, 12 anos
De Pedro Bronz

Beth Carvalho, a “Madrinha do Samba”, foi uma das maiores intérpretes do Brasil e ajudou a revelar grandes nomes e a revitalizar o gênero musical. O filme se debruça no vasto acervo de imagens documentadas por Beth Carvalho, ao longo dos seus 53 anos de palcos e pagodes, para traçar um recorte único e íntimo da carreira e vida dessa singular figura da cultura nacional. Prêmio de Melhor Filme pelo júri popular no 17º Fest Aruanda, em João Pessoa/PB.

Teatro da UFF
20h - Show Nei Lopes - Academia de Letras

Com carreira profissional de compositor popular iniciada em 1972, Nei Lopes construiu um acervo de mais de 350 canções gravadas, algumas em até dez registros diversos, por alguns dos maiores nomes da música brasileira. Agora, o show Academia de Letras chega aos palcos. Com acompanhamento de Itamar Assiere ao piano, Ivan Machado no contrabaixo e Erivelton Silva na bateria, com um repertório criteriosamente escolhido, com canções que representam o melhor da música de Nei Lopes e parceiros.

Abertura - André Jamaica

Cantor, compositor e pesquisador com quase 30 anos de carreira dedicados à cultura popular. Se notabilizou pelo trabalho musical voltado para as religiões de matriz africana com destaque para o projeto Samba de Fé que há nove anos em parceria com o Quilombo do Grotâo, projeto que milita pela liberdade religiosa.

É ainda vocalista do grupo Filhos de Oxóssi e há 15 anos integra o Sambalangandã, grupo que marcou época com uma roda de samba histórica no bairro de Santa Teresa.


29/09 - SEXTA-FEIRA



Teatro da UFF
10h - Oficina de Teatro com Amir Haddad

Amir Haddad é diretor, professor de teatro, ator e teatrólogo e criador do TÁ NA RUA que leva aos locais públicos espetáculos que carregam a ideia do improviso e da simplicidade. Reconhecido internacionalmente, desenvolve uma série de atividades didáticas nas artes cênicas, como oficinas, seminários e cursos. Torna-se um diretor único por sua capacidade de transitar entre o teatro tradicional e as produções populares.

Inscrição oficina Amir Haddad: https://forms.gle/rNZYiKbWTgHPycHw9


Cine Arte UFF
18h50 - Filme CINEMA NOVO
MOSTRA INVENTAÇÃO: O CINEMA, OS ENCONTROS E A MÚSICA BRASILEIRA

Brasil, 2016, 92’, 12 anos
De Eryk Rocha

CINEMA NOVO é um ensaio poético que investiga um dos principais movimentos cinematográficos latino-americanos, através do pensamento e fragmentos de filmes dos seus principais autores. O filme mergulha na aventura da criação de uma geração de cineastas que inventou uma nova forma de fazer cinema no Brasil – a partir de uma atitude política que juntava arte e revolução – e que tinha como desejo um cinema que tomasse as ruas e fosse ao encontro do povo brasileiro.

Teatro da UFF
20h - Show Padê (Juçara Marçal + Kiko Dinucci) 

Kiko e Juçara sempre estiveram ligados à religião afrobrasileira e interessados pela cultura popular brasileira. Eles se conheceram em 2004, por meio de um amigo em comum, ligado ao grupo A Barca, do qual a cantora fazia parte. Quatro anos depois, em 2007, a cantora e o compositor/violonista gravaram Padê, um álbum construído sobre a ancestralidade africana presente nas heranças da canção popular brasileira. Padê marca a primeira parceria entre Juçara Marçal e Kiko Dinucci, sendo o ponto de partida de uma longa e prolífica parceria artística. Parceria que resultou na formação de uma das bandas mais icônica da decada, Metá Metá, além de vários outros projetos em conjunto, e também participando dos trabalhos solos de cada um. Juçara e Kiko trafegam por canções de compositores como Candeia e Batatinha, entre outros. Músicas como Padê, São Jorge, Atotô e Machado de Xangô, de autoria de Kiko Dinucci. Em um show especial, a dupla apresenta músicas desse álbum, bem como outras que com ele dialogam.

Abertura: Nêgamanda

Nêgamanda é cantora, compositora, produtora cultural, musical e técnica de consciência e colocação vocal com base em bioenergética (método vocal desenvolvido pela artista). Baiana de Itabuna, Sul da Bahia, residente em Niterói desde o ano de 2010 Hoje com 32 anos de idade e 18 anos de carreira, traz um currículo extenso: Participou e foi semifinalista do Programa da Globo Super Star em 2015 e do The Voice 2013 e 2021. Em 2018 a artista voltou a carreira solo e após o sucesso no Programa The Voice Brasil 2021 a artista volta aos palcos com um repertório Cosmopolita que referêncià seu 1° álbum autoral que será lançado ainda no primeiro semestre de 2023 com influências da : MPB, Reggae,HipHop, Rap Neo Soul , Axé, Pagodão Baiano, R&B, Jazz, Blues, Afro Beats da Música nordestina, e da Black music em geral referências que serão perceptíveis em suas músicas autorais .


30/09 - SÁBADO

Cine Arte UFF
18h40 - Filme ALELUIA - O CANTO INFINITO DO TINCOÃ
MOSTRA INVENTAÇÃO: O CINEMA, OS ENCONTROS E A MÚSICA BRASILEIRA

Brasil, 2019, 70’, Livre
De Tenille Bezerra

Acompanhando o processo de composição do segundo disco de Mateus Aleluia, o filme se lança na construção de um imaginário em torno da obra e da vida do artista. Dialética de partidas e chegadas, o filme articula a obra musical de Mateus com sua memória afetiva tecendo uma delicada trama que conecta distintos lugares e temporalidades.

Sala Nelson Pereira do Santos
20h - Show N.I.N.A

N.I.N.A é uma das artistas da cena do GRIME e DRILL do Brasil e vem se destacando em suas participações. Sua carreira artística se iniciou em 2017 como pesquisadora musical e DJ, mas foi em 2019 que se encontrou artisticamente como MC, marcando presença no single "Identidade" com o produtor diniBoy. Lançou em 2022 seu primeiro álbum intitulado "Pele" e a repercussão foi tanta, que conquistou o excelente número de mais de 300 mil streams com 1h30 pós lançamento. Fez parte da décima terceira edição do Poesia Acústica ao lado de nomes como MC Cabelinho, Xamã e L7nnon, e assinou recentemente com a Pineapple, projeto responsável por levar o gênero do RAP NACIONAL ao topo das paradas musicais. N.I.N.A conquista seu Próprio público e vira sensação na cena carioca com seus versos cheios de rima e potência, cumprindo com o seu papel como MC. onde acredita que a sua mensagem é levar informação e cultura a todas as pessoas de diversas formas.

01/10 - DOMINGO

Teatro da UFF
16h30 - Show Cátia de França
Abertura Eddy Rodriguez

Catarina Maria de França Carneiro (João Pessoa, Paraíba, 1947). Cantora, compositora, instrumentista, escritora. Criada em um ambiente ilustrado, em que, segundo a própria artista, “faltava manteiga, mas tinha livro”, concebe a partir de colagens de suas referências literárias e musicais, que surgiram ao longo de sua trajetória em composições de ritmos variados. Identificando-se a um grupo de artistas nordestinos que colocam os ritmos regionais em diálogo com a cultura pop, Cátia de França se destaca pelas parcerias e colaborações, pelo diálogo com a literatura brasileira nas letras de suas canções e, ainda, por se tratar de uma mulher que compõe e executa as próprias criações. Alfabetizada pela mãe por meio de canções, estuda piano desde os quatro anos, deixando o instrumento aos 15, quando ingressa num colégio interno em Pernambuco. Passa a tocar violão e envereda pela música popular. Aprende também flauta, sanfona e percussão. Em Recife, faz teatro, leciona música e toca em casas noturnas.

Cine Arte UFF
18h20 - Filme XINGU CARIRI CARIOCA CARUARU
MOSTRA INVENTAÇÃO: O CINEMA, OS ENCONTROS E A MÚSICA BRASILEIRA

Brasil, 2015, 92’, Livre
De Beth Formaggini

O encontro é nosso ponto de partida. A troca entre as chamadas "culturas populares" e a "cultura pop". Xingu Cariri Caruaru Carioca promoverá um encontro entre mundos diversos e ao mesmo tempo confluentes. Carlos Malta vai buscar as raízes do pife, mas também perceber as suas transformações, o seu contexto e as suas interdependências com a música contemporânea.


20 de setembro da 01 de outubro de 2023
Centro de Artes UFF
Rua Miguel de Frias, 9 - Icaraí - Niterói
Museu Janete Costa
R. Pres. Domiciano, 178 - Ingá, Niterói - RJ

Sala Nelson Pereira dos Santos
Av. Visconde do Rio Branco, 880 - São Domingos, Niterói - RJ
Entrada Franca

leg livre

VÍDEO

Sem vídeos no momento

Você também pode gostar...

Procure outras atrações

Notícias - Mediação e Projetos

Sem notícias no momento

Semana com feriado chegando, ótima oportunidade para colocar na agenda os filmes mais comentados do Oscar. O lançamento da semana é o belíssimo SEM CORAÇÃO, de Nara Normande e Tião, filme com co-produção Brasil – França e que tem no time Kleber Mendonça Filho e Emilie Lesclaux. O longa brasileiro foi destaque no Festival de Veneza em 2023 e venceu o Prêmio Félix de Melhor Filme Brasileiro no Festival do Rio. Também chega ao Cine Arte UFF ZONA DE INTERESSE, de Jonathan Glazer, vencedor do Oscar de Melhor Filme Internacional e Melhor Som, a obra foi super comentada em Cannes por abordar numa perspectiva diferente um assunto já bastante tratado no cinema, os campos de extermínio na Segunda Guerra Mundial. Seguimos com mais oportunidades para POBRES CRIATURAS, DIAS PERFEITOS, NADA SERÁ COMO ANTES – A MÚSICA DO CLUBE DA ESQUINA, SAUDOSA MALOCA, VIDAS PASSADAS e as últimas oportunidades para ANATOMIA DE UMA QUEDA, AS LINHAS DA MINHA MÃO, BOB MARLEY: ONE LOVE e O MENINO E A GARÇA. E chegamos ao fim da MOSTRA FLORES QUE VENCEM CANHÕES com dois filmes de peso: o clássico DEUS E O DIABO NA TERRA DO SOL, em versão restaurada em 4K, e PASTOR CLAUDIO, filme fortíssimo que entrevista um conhecido torturador e assassino da ditadura militar brasileira, hoje bispo evangélico.

MOSTRA FLORES QUE VENCEM CANHÕES

Diante da efeméride dos 60 anos da Ditadura Militar Brasileira, serão exibidos cinco filmes que dialogam entre si sobre o tema nos dias 1, 8, 15, 20 e 22 de abril. Sempre será preciso refletir sobre as causas e as consequências de mais de duas décadas de censura, repressão, perseguição, torturas e tantos outros atos antidemocráticos e que feriram a nossa humanidade. O cinema é parte importante desse exercício, desde clássicos como “Cabra marcado para morrer” (Eduardo Coutinho) e “Iracema, uma transa amazônica” (Jorge Bodanzky e Orlando Senna), ambos, respectivamente, celebrando seus 60/40 anos e 50 anos de lançamento; até os mais recentes “Retratos de Identificação” (Anita Leandro) e “Pastor Cláudio” (Beth Formaggini) com novas abordagens do documentário brasileiro contemporâneo. Contaremos também com uma sessão especial dos 60 anos de lançamento de “Deus e o Diabo na Terra do Sol” (Glauber Rocha) com a exibição de cópia restaurada e em 4K. (Kamilla Medeiros, curadora da Mostra)

Dia 20 sábado 16h: sessão seguida de debate com o roteirista Walter Lima Jr. e o ator Othon Bastos. Mediação Leonardo Guelman.

DEUS E O DIABO NA TERRA DO SOL
Brasil, 1964, 120’, 14 anos, DCP 4K
De Glauber Rocha 

Manuel é um vaqueiro que se revolta contra a exploração imposta pelo coronel Moraes e acaba matando-o numa briga. Ele passa a ser perseguido por jagunços, o que faz com que fuja com sua esposa Rosa. O casal se junta aos seguidores do beato Sebastião, que promete o fim do sofrimento através do retorno a um catolicismo místico e ritual. Simultaneamente, o matador de aluguel Antônio das Mortes, a serviço da Igreja Católica e dos latifundiários da região, extermina os seguidores do beato. Em 2024, o filme completa seus 60 anos de lançamento.

Dia 22 segunda 19h30: sessão seguida de debate com o psicólogo Eduardo Passos e a realizadora e pesquisadora Júlia Mariano. Mediação Lívia Cabrera.

PASTOR CLÁUDIO
Brasil, 2017, 75’, 10 anos
De Beth Formaggini

Conversa entre o bispo evangélico Claudio Guerra, ex-chefe da Polícia Civil que assassinou e incinerou militantes que se opunham à ditadura e Eduardo Passos, psicólogo militante dos direitos humanos. Suas motivações variam entre o orgulho em ser um cumpridor de ordens competente, um servo leal da luta contra o comunismo, o prazer de ser temido e o amor ao poder e ao dinheiro. Ora é um cristão arrependido, ora um assassino orgulhoso de seu trabalho.


SEM CORAÇÃO – LANÇAMENTO

Dia 18 quinta 20h |  Dia 19 sexta 18h40 | Dia 21 domingo 17h40 | Dia 22 segunda 15h20 | Dia 23 terça 18h20 | Dia 24 quarta 14h
Brasil/França/Itália, 2023, 92’, 16 anos
De Nara Normande e Tião
Com Maya de Vicq, Eduarda Samara, Alaylson Emanuel, Maeve Jinkings

Verão de 1996, litoral de Alagoas. Tamara está aproveitando suas últimas semanas na vila pesqueira onde mora antes de partir para estudar em Brasília. Um dia, ela ouve falar de uma adolescente apelidada de “Sem Coração” por causa de uma cicatriz que tem no peito. Ao longo do verão, Tamara sente uma atração crescente por essa menina misteriosa. Selecionado para a Mostra Orizzonti do Festival de Veneza 2023, vencedor do Prêmio Félix, que celebra filmes de temática LGBTQIAPN+ do Festival do Rio 2023.

Acessibilidade > libras, audiodescrição, legenda descritiva em Pingplay

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=PsUemUF-hzI

ANATOMIA DE UMA QUEDA

Dia 18 quinta 17h10
Anatomie D’une Chute, 2023, França, 152’, 14 anos
De Justine Triet
Com Sandra Huller, Swann Arlaud, Milo Machado-Graner, Messi, Antoine Reinartz, Samuel Theis, Jehnny Beth

A vida da escritora alemã Sandra desmorona quando seu marido, Samuel, é encontrado morto. Aos poucos, o julgamento deixa de ser apenas uma investigação das circunstâncias da morte de Samuel e se torna uma inquietante jornada psicológica às profundezas da relação conturbada entre Sandra e Samuel. Palma de Ouro no Festival de Cannes, 6 Prêmios César (incluindo Melhor Filme, Direção, Atriz e Roteiro Original), Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiro e Melhor Roteiro, BAFTA de Melhor Roteiro Original, e 5 indicações ao Oscar, vencendo o de Melhor Roteiro Original.

Acessibilidade > libras, audiodescrição, legenda descritiva em Movie Reading

Trailer: https://youtu.be/wUcOD9f4Dvo

DIAS PERFEITOS
Dia 21 domingo 15h20 | Dia 24 quarta 19h40
Perfect Days,  Japão/Alemanha, 2023, 125’, 12 anos
De Wim Wenders
Com Miyako Tanaka, Koji Yakusho, Long Mizuma

Hirayama leva uma vida feliz, conciliando seu trabalho como zelador dos banheiros públicos de Tóquio com sua paixão por música, literatura e fotografia. Sua rotina estruturada é lentamente interrompida por encontros inesperados que o forçam a se reconectar com seu passado. Prêmio de Melhor Ator no Festival de Cannes. Indicado a Melhor Filme Internacional no Oscar e no César.

Acessibilidade > libras, audiodescrição, legenda descritiva em Mobi load

Trailer: https://youtu.be/j9srd9g_SEk

AS LINHAS DA MINHA MÃO
Dia 20 sábado 14h10 | Dia 24 quarta 15h50
Brasil, 2023, 80′ , 14 anos
De João Dumans

Por meio de uma série de encontros imprevisíveis, uma atriz fala sobre a sua experiência com a arte e a loucura. Dividido em sete atos, o filme é ao mesmo tempo o retrato de uma mulher e um estudo sobre as possibilidades desse retrato.  Prêmio de Melhor Filme na Mostra Aurora da 26a Mostra de Tiradentes.

Acessibilidade > libras, audiodescrição, legenda descritiva em Movie Reading

Trailer: https://youtu.be/lsExeHqxi58

BOB MARLEY: ONE LOVE
Dia 22 segunda 17h10
Bob Marley – One Love, EUA, 2024, 107´, 16 anos
De Reinaldo Marcus Green
Com Kingsley Ben-Adir, Lashana Lynch, James Norton, Tosin Cole

Filme biográfico dirigido por Reinaldo Marcus Green (King Richard: Criando Campeãs) que conta a história de Bob Marley, grande ícone do reggae. O longa traz momentos tanto da vida pessoal quanto pública do cantor – como sua trajetória na música, o atentado a tiros que Marley sofreu em 1976 e seu ativismo na luta pela paz. 

Acessibilidade > libras, audiodescrição, legenda descritiva em Greta

Trailer: https://youtu.be/rDotggJ_oIM

O MENINO E A GARÇA
Dia 23 terça 20h (LEG)
Kimitachi wa dô ikiru ka, Japão, 2023, 124´, 12 anos
De Hayao Miyazaki
Com Soma Santoki, Masaki Suda, Ko Shibasaki, Aimyon, Yoshino Kimura, Takuya Kimura, Kaoru Kobayashi, Shinobu Otake

Depois de perder a mãe durante a guerra, o jovem Mahito muda-se para a propriedade de sua família no campo. Lá, uma série de eventos misteriosos o levam a uma torre antiga e isolada, lar de uma travessa garça cinzenta. Quando a nova madrasta de Mahito desaparece, ele segue a garça até a torre e entra num mundo fantástico partilhado pelos vivos e pelos mortos. Ao embarcar em uma jornada épica com a garça como guia, Mahito deve descobrir os segredos deste mundo e a verdade sobre si mesmo. Vencedor do Oscar, Globo de Ouro, Prêmio BAFTA de Cinema, New York Film Critics Circle Awards de Melhor Animação.

Acessibilidade > libras, audiodescrição, legenda descritiva em Mobi load

NADA SERÁ COMO ANTES – A MÚSICA DO CLUBE DA ESQUINA 
Dia 19 sexta 20h30 | Dia 23 terça 14h
Brasil, 2023, 79’, 10 anos
De Ana Rieper

O filme mergulha na musicalidade de um excepcional time de músicos – Milton Nascimento, Lô Borges, Beto Guedes, Toninho Horta e outros – para entender como referências musicais diversas, e influências de paisagens, história e poesia refletiram em cada um deles e na música atemporal que criaram.

Acessibilidade > libras, audiodescrição, legenda descritiva em Pingplay

Trailer: https://youtu.be/bV6pPdzs_DA

POBRES CRIATURAS
Dia 19 sexta 16h | Dia 23 terça 15h40
Poor Things, EUA, 2023, 141’, 18 anos
De Yorgos Lanthimos
Com Emma Stone, Mark Ruffalo, Willem Dafoe, Ramy Youssef

A fantástica evolução de Bella Baxter, uma jovem que é trazida de volta à vida pelo brilhante e pouco ortodoxo cientista Dr. Godwin Baxter. Sob a proteção de Baxter, Bella está ansiosa para aprender. Desejando conhecer mais sobre o mundo, Bella foge com Duncan Wedderburn, um advogado astuto e debochado, para uma aventura por vários continentes. Livre dos preconceitos de sua época, Bella se firma em seu propósito de defender a igualdade e a libertação. Leão de Ouro no Festival de Veneza, Globo de Ouro de Melhor Filme (Comédia) e Melhor Atriz, 5 Prêmios BAFTA (incluindo Melhor Atriz), 11 indicações ao Oscar (sendo premiado em 4 categorias, incluindo Melhor Atriz).

Acessibilidade > libras, audiodescrição, legenda descritiva em Movie Reading

Trailer: https://youtu.be/9DEOJkmZLd8

SAUDOSA MALOCA
Dia 18 quinta 15h 
Brasil, 2024, 108’, 14 anos
De Pedro Serrano
Com Paulo Miklos, Leilah Moreno, Gero Camilo, Paulo Tiefenthaler, Izak Dahora

Numa mesa de bar, o velho Adoniran Barbosa conta a um jovem garçom histórias de uma São Paulo que já não existe. Lembra com carinho da maloca onde viveu com Joca e Mato Grosso, da paixão deles por Iracema e de outros personagens eternizados em seus sambas, crônicas de uma metrópole engolida pelo apetite voraz do “pogréssio”.

Acessibilidade > libras, audiodescrição, legenda descritiva em Mobi load

Trailer: https://youtu.be/uF4n9bnn9Tk

VIDAS PASSADAS

Dia 21 domingo 19h30 | Dia 24 quarta 17h30

Past Lives, Coréia do Sul/EUA, 2023, 106’, 12 anos

De Celine Song

Com Greta Lee, Teo Yoo, John Magaro

Nora e Hae Sung, dois amigos de infância profundamente conectados, se separam depois que a família de Nora decide sair da Coréia do Sul. Vinte anos depois, eles se reencontram em Nova York para uma semana fatídica enquanto confrontam noções de destino, amor e as escolhas que fazem uma vida. Indicado ao Oscar de Melhor Roteiro Original e Melhor Filme.

Acessibilidade > libras, audiodescrição, legenda descritiva em Movie Reading

Trailer: https://youtu.be/tTPETUehOMo

ZONA DE INTERESSE
Dia 19 sexta 14h | Dia 20 sábado 20h30
The Zone of Interest, EUA/Polônia/Reino Unido, 2023, 106’, 14 anos
De Jonathan Glazer
Com Sandra Hüller, Freya Kreutzkam, Christian Friede

O filme é um drama histórico que se passa durante a Segunda Guerra Mundial. Adaptado do romance homônimo do escritor Martin Amis, retrata de forma impactante a vida de Rudolf Höss, o comandante de Auschwitz, e sua esposa Hedwig, que desfrutam de uma vida aparentemente bucólica em uma casa com jardim. Mas a família feliz vive, na verdade, ao lado do campo de concentração. O dia-a dia destes personagens se desenrola entre os gritos abafados de desespero, de um genocídio em curso, do qual, eles também são diretamente responsáveis. Vencedor do Grande Prêmio do Festival de Cannes 2023 e Oscar de Melhor Filme Internacional e Melhor Som.

Acessibilidade > libras, audiodescrição, legenda descritiva em Movie Reading

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=SW_fOpnTIuk


Ingressos
Inteira – R$ 20,00 | Meia – R$ 10,00 (exceto segundas-feiras)
Segunda-feira – Promoção – R$ 5,00
Canais de venda: Guichê Web e Bilheteria

A narrativa, construída por Pedro Cadore e Cláudia Pinto, se desdobra a partir de trechos de entrevistas do próprio Belchior, proporcionando ao público um vislumbre da juventude do artista e suas reflexões sobre um mundo em constante desconcerto. O espetáculo destaca Pablo Paleólogo, que encarna o cantor cearense, e Bruno Suzano, que dá vida ao “Cidadão Comum”, uma presença constante nas canções de Belchior, representando, de certa forma, seu alter ego.

Mais do que uma mera retrospectiva, a peça aspira transmitir a filosofia de Belchior, convidando o espectador a explorar a profundidade de suas letras e pensamentos. Cadore destaca a intenção de proporcionar uma experiência nostálgica aos fãs, assim como introduzir a poesia única do compositor àqueles que ainda não a conhecem.

Ficha Técnica: Direção: Pedro Cadore

Produção Geral: Rodrigo Medeiros e Pedro Cadore

Dramaturgia: Cláudia Pinto e Pedro Cadore

Elenco: Bruno Suzano e Pablo Paleólogo

Banda: Emília B. Rodrigues (bateria), Rico Farias (violão/guitarra), Silvia Autuori (baixo/violino)

e Thomas Lenny (teclado)

Direção Musical: Pedro Nêgo

Iluminação: Rodrigo Belay

Figurino: José Dias

Técnico de Luz: Peder Salles

Técnico de Som: Nando Lopes

Direção de Marketing e Mídia: Rodrigo Medeiros (R+Marketing)

Gestão de Marketing: Fernando Gouvêa

Assistente de Marketing: Gustavo Trindade

Programação Visual: Leticia Andrade – Nós Comunicação

Produção Audiovisual: JL Studio

Assessoria de imprensa: Ribamar Filho – MercadoCom

Assistente de Produção: Rafael Barcellos e Giuliana Trindade

Direção de Produção: Well Rianc

Produção Associada: Riatti Produções

Realização: R+Marketing e Cadore Produções Artísticas


31 de maio a 09 de junho de 2024
Sexta e Sábado 20h | Domingo 19h
Teatro da UFF
Rua Miguel de Frias, 9 – Icaraí – Niterói
Ingressos: R$ 80 (inteira) – R$ 40 (meia)

Classificação: Livre
Canais de venda:
Guichê Web e Bilheteria

O casal de físicos aposentados Dayse (Analu Prestes) e Robin (Mario Borges), vive só e sem vizinhos numa casa improvisada perto da costa, numa região inóspita, assolada por um acidente nuclear. Após uma ausência de quase quarenta anos, Rose (Stela Freitas), antiga colega de profissão e amiga, chega a essa casa com uma missão que poderá mudar para sempre a vida do casal. Para complicar as coisas, Robin teve uma relação com Rose no passado.

Dramaturgia

Estruturalmente, a peça se sustenta pelo desvendamento progressivo dos sentimentos desses personagens que, aos poucos, vão mostrando não só seus problemas afetivos, mas também a profunda crise ética em relação ao seu papel na sociedade em que vivem.

Paralelamente à questão nuclear, o texto investe nas particularidades da vida desses três indivíduos – sua relação com os filhos (ou a opção por não os ter), a proximidade da morte, a traição, as omissões, a fantasia e o desejo. Trata-se de um grande desastre a espelhar os pequenos desastres de três vidas.

“A discussão da peça está para além da questão nuclear. Ela nos provoca a pensar em como usamos os recursos disponíveis. Entendo que Kirkwood quer que pensemos em nossa responsabilidade com as futuras gerações. Para mim, a grande pergunta da peça é: salvar as crianças de um futuro catastrófico é um ato de heroísmo ou uma obrigação?”, questiona Rodrigo Portella, diretor.

Ficha técnica:

Texto: Lucy Kirkwood
Tradução: Diego Teza
Direção: Rodrigo Portella
Elenco / Personagem: Analu Prestes / Dayse; Mario Borges / Robin; e Stela Freitas / Rose
Cenário: Julia Deccache
Iluminação: Paulo Cesar Medeiros
Figurino: Rita Murtinho
Trilha sonora original: Marcello H e Federico Puppi
Preparação corporal: Marcelo Aquino
Fotos: Victor Hugo Cecatto
Programação visual: Fernanda Pinto
Marketing: Victor Novaes
Operador de luz: Walace Furtado
Operador de som: Diogo Perdigão
Contrarregra: Osni Silva
Produção executiva: Bárbara Montes Claros
Direção de produção: Celso Lemos 


03 a 12 de maio de 2024
Sexta e Sábado 20h | Domingo 19h
Teatro da UFF
Rua Miguel de Frias, 9 – Icaraí – Niterói
Ingressos: R$ 80 (inteira) – R$ 40 (meia)

Classificação Indicativa:  14 anos
Canais de venda:
Guichê Web e Bilheteria

Original do escritor francês, Charles Perrault, “Chapeuzinho Vermelho” é, com certeza, o conto mais pedido pela criançada na hora de se contar histórias. 

A menina de capinha vermelha que desobedece a mãe e acaba se deparando com o lobo mau, colocando em apuros a pobre vovozinha, já teve inúmeras versões. E foi pensando em tempos de ecologia e preservação de nossa fauna, que Eduard Roessler resolveu dar um final mais ecológico ao vilão, que na verdade é um lobo Guará em extinção e também precisa de um lugar ao sol.  

Sem deixar de lado a velha moral, essa recontagem ganha mais uma lição, de que a floresta precisa de suas feras para se proteger dos intrusos e mal intencionados e as crianças precisam sempre ouvir os mais velhos e respeitar a natureza. 

FICHA TÉCNICA

Texto e Direção: Eduard Roessler

Iluminação: Leonardo Heringer

Sonoplastia: João Victor Pascale

Divulgação: Régia Perdigão

Elenco: Eduard Roessler, Thainá Lana, Gisela Roessler, Rosângela Andrade ,Willy Roessler, Mario Neto e Maíra Porto.

Classificação Etária: Livre

Duração do espetáculo: 45 minutos


04 a 12 de maio de 2024
Sábado e Domingo | 16h
Teatro da UFF
Rua Miguel de Frias, 9 – Icaraí – Niterói
Ingressos: R$ 50 (inteira) – R$ 25 (meia)
Canais de venda: Guichê Web e Bilheteria

Quando o mundo ficou refém da pandemia da Covid 19, o barítono Guido Weber e o pianista Giomar Sthel decidiram organizar alguns concertos para pequenos públicos. O sucesso foi tanto que o duo não parou mais. Giomar é brasileiro, radicado na Alemanha há quase 40 anos. Guido é alemão e suas atividades estão divididas entre ópera, musicais e recitais. Neste concerto, intitulado Musikalische Genüsse (prazeres musicais), o duo apresenta um programa dedicado a canções clássicas e românticas no idioma Alemão, com obras de Schubert, J.S. Bach e Strauss.

Guido Weber nasceu perto de Frankfurt e começou a estudar canto aos 14 anos, graduando-se pela Hochschule für Musik und Theater em Hamburgo. Suas atividades estão divididas entre ópera, musicais e recitais. Vem atuando em diversos palcos como: Ópera de Leipzig, Ópera de Graz, Linz State Theatre e no Tiroler Landestheater Innsbruck. Nos últimos anos, desenvolveu um amplo repertório nos musicais interpretando Higgins em My Fair Lady em nove produções diferentes. Guido já foi Javert em Les Miserables e Fred Graham no musical Kiss me Kate, de Cole Porter em uma produção de Hartwig Rudolz. Guido Weber cantou em O Sorriso de uma Noite de Verão no Festival do Castelo de Ettlingen, além de cantar nos teatros como Staatsoperette em Dresden e Musikalischen Komödie em Leipzig e Düsseldorf interpretando os papéis principais em EvitaGigiCrazy for youThe Fireworks e O Mágico de Oz, bem como várias participações em concertos com grandes obras religiosas e seculares que completam o trabalho musical de Guido Weber.

Giomar Sthel, brasileiro,mora na Alemanha desde 1986. Nascido em Itaperuna, mudou-se para Niterói, onde estudou piano ganhando diversos prêmios na adolescência. No início dos anos 80, foi membro da primeira formação do Música Antiga da UFF e da Banda Antiqua tocando flauta doce. Paralelamente, estudou viola da gamba com Myrna Herzog e depois foi para Haia e Basileia para estudar Música Antiga com Aneke Polls e, Jordi Savall. Realizou concertos tanto como gambista e pianista, não só na Europa, mas também nos EUA, Quênia, Japão, Israel, Ucrânia e claro no Brasil. Gravou pelo selo Tratore Pièces de Clavecin à deux violes, de François Couperin, com a gambista Myrna Herzog (2020).


PROGRAMA

FRANZ SCHUBERT (1797-1828)

Der Einsame (O solitário) D 800

An die Nachtigall (Para o Rouxinol) D 497

An die Laute (Para o Alaúde) Opus 81, nº2

Romanze (Romance) D 797

Der zürnenden Barde (O bardo furioso) D 785

+++++

IMPROMPTU opus 90, nº4 para Piano

+++++

Die Forelle (A Truta) D550

Der Lindenbaum (A Tília) D911, nº5

Die Krähe (O Corvo) D911.15

++++

IMPROMPTU opus 90, nº3 para Piano

++++

Erlkönig (Rei elfo) D 328

J.S.BACH (1685 – 1750)

Die Seele rührt in Jesu Hände (A alma descansa nas mãos de Jesus)

Aria da Cantata 127 transcrita para Piano solo por Harold Bauer

RICHARD STRAUSS (1864-1949)

Nichts (Nada) Opus 10, nº 2

Du meines Herzens Krönelein (Você, a coroa do meu coração) Opus 21, nº2

Die Nacht (A Noite) Opus 21, nº1

All mein Gedanken (Todos os meus pensamentos) Opus 21, nº1

Zueignung (Apropriação) Opus 10, nº1


14 de maio de 2024
Terça | 19h
Teatro da UFF
Rua Miguel de Frias, 9 – Icaraí – Niterói
Ingressos: R$ 30 (inteira) – R$ 15 (meia)
Canais de venda: Guichê Web e Bilheteria

0 COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

WordPress Video Lightbox Plugin