Skip to main content
UFF - Universidade Federal Fluminense

Samba que elas querem - Música Livre

Sessões:
21/02 (Qui) 20:00

 

Samba Que Elas Querem é uma roda organizada por mulheres musicistas que nasceu de um desejo de protagonizar o sexo feminino no cenário do samba carioca. Somos um movimento de motivação e representação feminina dentro da música e nossa roda pretende ser um espaço de respeito em que todos possam se sentir agregados. Lugar de mulher é onde ela quiser! E como Clementina já dizia, “sai de baixo, senão eu vou passar por cima”! Nós queremos SAMBA. Queremos cantar forte, quebrar tudo nos tambores, tamborins e pandeiros, chorar a viola e o cavaco pra saudar todas as tias Suricas, Ciatas, Ivones, Elzas, Claras, Beths, Lecis e Jovelinas.

Mulheres pioneiras na história do samba

A antropóloga conta que apenas depois da década de 30 o samba passou a ser aceito como cultura popular, reforçado por Getúlio Vargas “com o movimento de valorização do que era brasileiro, o que faz o Brasil o Brasil, e a tentativa de incorporar uma falsa democracia racial, de um país que supostamente aceita sua negritude e suas raízes”.

Um marco feminino dentro na história do samba, em meio toda essa imensa dificuldade, é a Madrinha Eunice, uma mulher cuja memória de luta é imensurável. “Ela foi a primeira mulher a presidir uma escola de samba, a Lavapés de São Paulo, que surgiu na verdade mais como um cordão carnavalesco”, contextualiza Kelly.

Porém, só mesmo depois da década de 60 que mulheres puderam ter alguma visibilidade dentro do espectro musical do samba e aí começam a surgir nomes vindos do Rio de Janeiro, como Clementina de Jesus e Dona Ivone Lara – a segunda que é, na opinião de Kelly, o principal símbolo desse contexto.

O papel das intérpretes para a difusão e popularização do samba, principalmente Clara Nunes com pele clara, mas ascendência negra –, Alcione, Leci Brandão e Beth Carvalho, que amadrinhou muitos sambistas, também foi essencial para a cultura musical brasileira.

Saravá às nossas bambas!

O SQEQ é:

Angélica Marino
Bárbara Fernandes
Cecília Cruz
Giselle Sorriso  
Júlia Ribeiro
Karina Neves
Mariana Solis
Silvia Duffrayer

21 de fevereiro de 2019
Quinta | 20h
Teatro da UFF
Rua Miguel de Frias, 9 - Icaraí
Ingressos: R$ 30 (inteira) | R$ 15 (meia)

VÍDEO

Você também pode gostar...

Procure outras atrações

Notícias - Música

TEATRO DA UFF

Rua Miguel de Frias, 9, Icaraí – Niterói/RJ
344 lugares
Informações: 3674-7512 | a partir de 14h

0 COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

WordPress Video Lightbox Plugin