Conteúdo Principal
UFF - Universidade Federal Fluminense

Concerto OSN - 18 de junho de 2023

Dia 18/06/2023

 

9ª Mostra Brasileira de Música da Atualidade

PROGRAMA

Lourenço Vasconcellos
Concertino para bateria e orquestra (Estreia mundial)

Jonas Hocherman
Caminhos do sol e da lua (Estreia mundial)

Alexandre Guerra
Mulheres de Pablo Picasso (Estreia mundial)
I. Madeleine
II. Fernande Oliver
III. Eva Gouel
IV. Olga
V. Marie-Thérèse
VI. Dora Maar
VII. Françoise Gilot
VIII. Jacqueline Roque

Tatiana Lima Castro
Oníricas nº 1 (Estreia mundial)


OSN UFF Maestro Javier Logioia Orbe
SOLISTA Lourenço Vasconcellos (bateria)

22 de maio de 2023

Domingo | 10h30

Cine Arte UFF

Rua Miguel de Frias, 9 - Icaraí - Niterói

Ingressos: R$30 (inteira) - R$ 15 (meia)

Canais de venda: Guichê Web e Bilheteria

VÍDEO

Sem vídeos no momento

Você também pode gostar...

Procure outras atrações

Notícias - Concertos

Sem notícias no momento

Embora seja uma modalidade cênica específica, pela solidão do ator em cena, o monólogo mantém a polifonia que caracteriza a linguagem teatral, concentrada em sua dimensão mais essencial: a unidade da relação autor-ator-espectador. Defrontado com o público, sem o suporte da contracena, o artista se expõe e se revela de modo radical. No solo, o personagem floresce unicamente pelo enraizamento de seu intérprete.

O SOLOS EM CENA – Festival de monólogos foi criado em 2006, com duas edições no mesmo ano e mais duas, realizadas em 2016 e 2017. Nesta edição, mais do que estabelecer o cruzamento de narrativas diversas em duas semanas, visamos o mergulho no si-mesmo habitado pela alteridade, confluindo dimensões identitárias de uma subjetividade refigurada pela memória. Como traço comum das narrativas aqui selecionadas, os textos e os corpos em cena manifestam a paixão pelo ofício de atuar e um deslocamento do olhar sobre as trajetórias de suas próprias existências, mesclando ficção e vida.

Os artistas dos quatro solos que compõem a mostra são: Mateus Solano, Paulo Betti, Isabel Teixeira e Júlio Adrião, que é o “padrinho” do projeto e participou de três das quatro edições anteriores.  

Além dos espetáculos, há atividades formativas que conferem maior densidade ao festival: conversas com os criadores, logo após as apresentações; e, no dia 10/7, a Aula demonstração – o corpo do ator no solo narrativo, ministrada pelo ator Júlio Adrião, com entrada gratuita para estudantes de teatro e para o público em geral.  

Como mecanismo de ativação de público, o Passaporte Teatral, utilizado com sucesso nas edições anteriores, possibilita que os espectadores assistam às quatro peças com valores de ingressos ainda mais acessíveis.  

Que esta experiência de cruzamentos singulares envolva cada espectador na unidade da comunicação cênica, pela multiplicidade de sentidos.  

Leonardo Simões
Coordenador do Festival de Monólogos SOLOS EM CENA – 2024 

05 a 07 de Julho

O FIGURANTE
Sexta e Sábado 20h | Domingo 19h
Com Mateus Solano

Após a apresentação do sábado, dia 06/7 há um bate-papo com o ator Mateus Solano e o diretor Miguel Thiré.

Augusto (Mateus Solano) é um figurante dedicado, experiente e acostumado a servir em produções audiovisuais. Vive uma rotina previsível como se fosse figurante de sua própria história. Aos poucos, ele vai despertando e questionando a importância de seu trabalho e de sua vida. Como ressignificar sua existência?

09 de Julho

AUTOBIOGRAFIA AUTORIZADA
Terça | 19h
Com Paulo Betti

A apresentação é seguida de um bate-papo com o ator e diretor Paulo Betti.

Paulo Betti (62 anos) saiu do mundo rural onde o avô, um imigrante italiano, trabalhava a meia para um fazendeiro negro. Filho de uma camponesa analfabeta, que mudou para a cidade onde foi empregada, mãe de 15 filhos (Paulo é o décimo quinto, temporão, dez anos de diferença de seu irmão mais novo). Seu pai era esquizofrênico. Apesar disso, estudou em boas escolas, cursou um Ginásio Industrial em tempo integral, se formou pela Escola de Arte Dramática da USP e foi professor na Unicamp. O testemunho do ator, autor e diretor, que vai representar pai, mãe, avó e muitos outros personagens da própria vida, levará ao público uma peça divertida e emocionante.

10 de Julho

Aula Demonstração – O CORPO DO ATOR NO SOLO NARRATIVO
Quarta | 19h
Com Júlio Adrião

Entrada gratuita

11 de Julho

A DESCOBERTA DAS AMÉRICAS
Quinta | 19h
Com Júlio Adrião

Acontece que um Zé ninguém de nome Johan Padan, rústico, esperto e carismático, escapa da fogueira da inquisição, embarcando em Sevilha, numa das caravelas de Cristóvão Colombo. No Novo Mundo, nosso herói sobrevive a naufrágios, testemunha massacres, é preso, escravizado e quase devorado pelos canibais. Com o tempo, aprende a língua dos nativos, cativa-os e safa-se fazendo “milagres” com alguma técnica e uma boa dose de sorte. Venerado como filho do sol e da lua, a seu modo, catequiza os nativos e os guia numa batalha de libertação contra os espanhóis invasores.

13 a 14 de Julho

JANDIRA – EM BUSCA DO BONDE PERDIDO
Sábado 20h | Domingo 19h
Com Isabel Teixeira

Um diagnóstico inesperado desencadeia o maior dos dramas humanos, que a todos iguala: a tomada de consciência da finitude, da fragilidade humana e do inevitável confronto com a morte. Mas, se o tema é transitoriedade e vulnerabilidade, para além disso há uma narrativa de paixão pelo próprio ofício, pelas pessoas, vivências e, sobretudo, uma declaração de amor à vida.


05 a 14 de Julho de 2024
Teatro da UFF
Rua Miguel de Frias, 9 – Icaraí – Niterói
Ingressos: R$ 70 (inteira) – R$ 35 (meia)
Canais de venda:
Guichê Web e Bilheteria

Passaporte Teatral – R$ 30 (por peça) – R$ 120 (valor total do passaporte)

Regulamento PASSAPORTE TEATRAL

O Passaporte Teatral é um mecanismo de fidelização do público exclusivamente para o Festival de Monólogos SOLOS EM CENA (de 05 a 14 de julho de 2024), no Teatro da UFF.

Somente 60 passaportes serão emitidos e deverão ser adquiridos exclusivamente na bilheteria física do Centro de Artes UFF.

Cada Passaporte Teatral dá direito à compra de um (01) ingresso para cada um dos quatro espetáculos programados, pelo valor promocional de R$30 (trinta reais) por cada peça, num total de R$120 (cento e vinte reais) pela aquisição do Passaporte.

Este preço promocional é o mesmo, tanto para os pagantes de inteira, quanto para os que têm direito legal à meia-entrada. Esse valor promocional não é cumulativo com outras opções de meia-entrada definidas por lei ou pela política de acesso do Centro de Artes UFF.

Ao adquirir o Passaporte Teatral, o espectador escolherá no mesmo ato as datas das 04 apresentações que deseja assistir (sendo necessariamente uma diferente de cada peça). Ao quitar o valor total de R$120 (com quatro pagamentos de R$30), o espectador recebe o cartão (Passaporte Teatral), que deverá conter seu nome completo e o nº do RG (documento com foto), sendo grampeados nele os quatro ingressos escolhidos.

O Passaporte Teatral é pessoal e intransferível, por isso será exigida a identificação na entrada de cada espetáculo.

Nos dias das apresentações, o espectador deverá levar o seu Passaporte Teatral com os respectivos ingressos grampeados e entrará numa fila exclusiva, onde irá apresentar o Passaporte Teatral juntamente com seu documento com foto.

Caso o espectador deseje comprar os mesmos ingressos para algum acompanhante, deverá adquirir outros passaportes (até quatro), onde serão registrados os nomes e RG dos respectivos usuários, que também deverão apresentar seus respectivos  documentos na entrada para os espetáculos.

A aquisição do Passaporte Teatral é uma opção do espectador, que poderá comprar os ingressos separadamente pelo preço regular (R$70 para inteira; R$35 para meia-entrada), se assim preferir.Em caso de eventual cancelamento, por parte do espectador, o mesmo só poderá ser realizado na bilheteria física do Centro de Artes UFF, se solicitado com até 48 horas antes do primeiro espetáculo do Festival (O Figurante, em 05/7/2024) e o cancelamento incidirá sobre todos os quatro ingressos do Passaporte.

Em seu primeiro monólogo, Mateus Solano volta aos palcos dirigido por Miguel Thiré, seu parceiro desde o bem-sucedido “Selfie”, espetáculo que lotou os teatros do Rio e São Paulo entre 2014 e 2016. A dramaturgia é de Isabel Teixeira (sua recente parceira na novela “Elas Por Elas”, TV Globo), do próprio Mateus e de Miguel Thiré.

SINOPSE 

Augusto (Mateus Solano) é um figurante dedicado, experiente e acostumado a servir em produções audiovisuais. Vive uma rotina previsível como se fosse figurante de sua própria história. Aos poucos, ele vai despertando e questionando a importância de seu trabalho e de sua vida. Como ressignificar sua existência?

FICHA TÉCNICA 

Dramaturgia: Isabel Teixeira, Mateus Solano e Miguel Thiré

Atuação: Mateus Solano 

Direção: Miguel Thiré

Direção de Produção: Carlos Grun

Direcão de Movimento: Toni Rodrigues 

Desenho de Luz: Dani Sanches 

Direção Musical e Trilha Original: João Thiré

Design Gráfico: Rita Ariani 

Equipe de Produção: Flavia Espírito Santo, Glauce Guima, Kakau Berredo, Cleidinaldo Alves 

Idealização e Realização: Mateus Solano, Miguel Thiré e Carlos Grun

Uma produção Bem Legal Produções

Assessoria de Imprensa: JSPontes. Comunicação – João Pontes e Stella Stephany


05 a 07 de maio de 2024
Sexta e Sábado 20h | Domingo 19h
Teatro da UFF
Rua Miguel de Frias, 9 – Icaraí – Niterói
Ingressos: R$ 70 (inteira) – R$ 35 (meia)
Canais de venda:
Guichê Web e Bilheteria
Classificação Indicativa: 12 anos

“JANDIRA – em busca do bonde perdido” marca um encontro de almas: Marcos Caruso é convidado pela Mesa 2 para dirigir o texto de Jandira Martini (1945-2024), dramaturga com quem trabalhou por uma vida inteira escrevendo para o teatro e a TV. Isabel Teixeira, um dos nomes mais importantes do teatro paulistano, integra o elenco de “Elas Por Elas” ao lado de Caruso e funda com ele uma sólida amizade, nascida das afinidades artísticas. O caminho estava desenhado – foi só trilhar.

Inspirada em sua própria jornada pessoal e dedicação ao teatro, a atriz e dramaturga Jandira Martini (falecida em janeiro deste ano) escreveu seu último texto. E é ela própria quem define: “Um monólogo sobre uma situação imprevista, surpreendente. Uma atriz que se revela, diante de seu público, ao narrar, com humor, sua inesperada e assustadora experiência. Auto ficção? Sem dúvida. Um stand-up? Seria, se fosse cômico. E cômico não chega a ser. Nem trágico. Apenas dramático.”

A peça convida o público a um passeio pelas memórias mais marcantes da autora através de um texto direto, enxuto e coloquial, evocando os blocos carnavalescos da cidade de Santos – sua terra natal -, as descobertas da infância, momentos dramáticos, a vida dedicada ao teatro.

“Uma corajosa exposição. Uma improvável abertura de sentimentos de uma das pessoas mais fechadas que conheci. Uma peça que fala de uma dor de todos nós, com um grau elevado de bom humor e poesia. O convite da Mesa2 e dos filhos de Jandira Martini me permite continuar ao lado dela num ciclo iniciado em 1984 que resultou em muitas peças de teatro, roteiros de cinema, novelas e séries para TV. Uma escrita vitoriosa. Um grande acerto foi convidar Bel Teixeira. Bel respira e transpira Teatro. Bel é Jandira.”, celebra Marcos Caruso, diretor.

Em seus momentos mais difíceis, a personagem/narradora busca socorro nas palavras e pensamentos de Molière, Machado de Assis, Oscar Wilde, Shakespeare e outros deuses da escrita, sua grande paixão. 

SINOPSE

Um diagnóstico inesperado desencadeia o maior dos dramas humanos, que a todos iguala: a tomada de consciência da finitude, da fragilidade humana e do inevitável confronto com a morte. Mas, se o tema é transitoriedade e vulnerabilidade, para além disso há uma narrativa de paixão pelo próprio ofício, pelas pessoas, vivências e, sobretudo, uma declaração de amor à vida.


Ficha Técnica

Texto: Jandira Martini 
Direção: Marcos Caruso 
Elenco: Isabel Teixeira 
Trilha Sonora: Aline Meyer 
Iluminação: Beto Bruel 
Produção Executiva: Silvia Rezende
Direção de Produção: Roberto Monteiro e Fernando Cardoso 
Realização: Mesa2 Produções
Assessoria de Imprensa: JSPontes Comunicação – João Pontes e Stella Stephany


13 e 14 de Julho de 2024
Sábado 20h | Domingo 19h
Teatro da UFF
Rua Miguel de Frias, 9 – Icaraí – Niterói
Ingressos: R$ 70 (inteira) – R$ 35 (meia)
Canais de venda:
Guichê Web e Bilheteria
Classificação Indicativa:  12 anos

Completando 40 anos de carreira, Paulo Betti comemora com um Stand-up caprichado, com iluminação, figurino, trilha sonora, cenário e belas projeções.

“Autobiografia Autorizada”, um monólogo de Paulo Betti, dirigido por ele e por Rafael Ponzi, estreou dia 19 de março, no Centro Cultural Correios.
Após temporada de dois meses, o espetáculo já passou pelas cidades de Sorocaba, São Carlos, Jundiaí, Araraquara, Piracicaba, Paulínia, Fortaleza, Uberlândia, Brasília e Luanda (Africa). O espetáculo (o último foi “Deus da Carnificina”), que marca a comemoração dos 40 anos de carreira de Paulo, foi construído pelo próprio artista, que se inspirou nos textos escritos em grandes blocos durante a adolescência, onde também fazia colagens de fatos da época, e também nos artigos semanais que escreveu por quase trinta anos para o Jornal Cruzeiro do Sul, de Sorocaba, cidade onde foi criado.

Paulo Betti (62 anos) saiu do mundo rural onde o avô, um imigrante italiano, trabalhava a meia para um fazendeiro negro. Filho de uma camponesa analfabeta, que mudou para a cidade onde foi empregada, mãe de 15 filhos (Paulo é o décimo quinto, temporão, dez anos de diferença de seu irmão mais novo). Seu pai era esquizofrênico. Apesar disso, estudou em boas escolas, cursou um Ginásio Industrial em tempo integral, se formou pela Escola de Arte Dramática da USP e foi professor na Unicamp. O testemunho do ator, autor e diretor, que vai representar pai, mãe, avó e muitos outros personagens da própria vida, levará ao público uma peça divertida e emocionante.


Ficha Técnica

Texto e Interpretação: Paulo Betti
Direção: Juliana Betti e Rafael Ponzi
Elenco: Paulo Betti
Cenário: Mana Bernardes
Figurino: Leticia Ponzi
Iluminação: Dani Sanchez e Luiz Paulo Neném
Direção de Movimento: Miriam Weitzman
Programação Visual: Mana Bernardes
Trilha Sonora: Pedro Bernardes
Fotografia: Mauro Khouri
Assistente de Direção: Juliana Betti
Administração Financeira: Lya Baptista
Produção Executiva: Fabrício Chianello


09 de julho de 2024
Quarta | 19h
Teatro da UFF
Rua Miguel de Frias, 9 – Icaraí – Niterói
Ingressos: R$ 70 (inteira) – R$ 35 (meia)
Canais de venda: Guichê Web e Bilheteria

Acontece que um Zé ninguém de nome Johan Padan, rústico, esperto e carismático, escapa da fogueira da inquisição, embarcando em Sevilha, numa das caravelas de Cristóvão Colombo. No Novo Mundo, nosso herói sobrevive a naufrágios, testemunha massacres, é preso, escravizado e quase devorado pelos canibais. Com o tempo, aprende a língua dos nativos, cativa-os e safa-se fazendo “milagres” com alguma técnica e uma boa dose de sorte. Venerado como filho do sol e da lua, a seu modo, catequiza os nativos e os guia numa batalha de libertação contra os espanhóis invasores.


FICHA TÉCNICA
Tradução e adaptação: Alessandra Vannucci e Julio Adrião
Direção: Alessandra Vannucci
Atuação: Julio Adrião
Figurino: Gabriella Marra Iluminação: Luiz André Alvim
Montagem e operação de luz: Guiga Ensá
Foto: Renato Mangolin
Produção: Fernando Alax – Casa136 Produções Artísticas
Realização: Julio Adrião Produções Artísticas


11 de julho de 2024
Quinta | 19h
Teatro da UFF
Rua Miguel de Frias, 9 – Icaraí – Niterói
Ingressos: R$ 70 (inteira) – R$ 35 (meia)
Canais de venda: Guichê Web e Bilheteria
Classificação Indicativa:  14 anos

0 COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

WordPress Video Lightbox Plugin