Músicos

PRIMEIROS VIOLINOS

Ana de Oliveira (spalla)

A violinista é mestre em música pela UNIRIO e graduou-se na classe de Rainer Kussmaul na Escola Superior de Música em Freiburg, Alemanha. Participou de importantes festivais, entre eles Montreux, La Villette, Warschauer Herbst , Donaueschingen, Campos do Jordão, MIMO, Festival Villa-Lobos. No Brasil, desenvolveu uma carreira diversificada atuando como spalla da OSB durante uma década, criando e liderando grupos de câmera, participando como solista e spalla em diversas gravações e exercendo a coordenação pedagógica do Festival MIMO. Realizou a primeira audição no Brasil de obras de Mário Tavares, Egberto Gismonti, Benjamin Britten, Charles Ives, Clarice Assad. É violinista do Trio Puelli com o qual lançou três elogiados CDs e atua como spalla da OSN UFF.

Holly Katz (spalla)

Membro da OSN desde 2011, atualmente ocupa a posição de concertina. Começando seus estudos com apenas 5 anos de idade, sob a direção de William Starr, um pedagogo de Suzuki internacionalmente reconhecido e fundador da Associação Suzuki das Américas. Ela continuando seus estudos musicais (ensino médio) no North Carolina School of the Arts, estudando com Vartan Manoogian, antigo spalla da L’Orchestre de la Suisse Romande e discípulo de Ivan Galamian. Ela se formou na Indiana University Bloomington e teve o privilégio de estudar com Joseph Gingold, um dos mais influentes mestres de violino, tendo muitos estudantes bem sucedidos nas carreias, incluindo mundialmente famoso, Joshua Bell. Com bastante experiência em música de câmara, ela recebeu o primeiro prêmio do Fischoff Chamber Music Competition (Dorian Trio).Participando no curso de extensão  com Alexander Schneider (Budapest String Quartet), New York String Orchestra, também com o Guarneri String Quartet, Cleveland Chamber Music Seminar .
Ela começando a carreia  profissional  como a Spalla de Sinfônica de Grand Rapids (Michigan) sobre a direção de  Semyon Bychkov, Director Musical.(1980-1983)  Aceitando o posição de Spalla da Orquestra Sinfônica de Phoenix (Arizona) trabalhando com o Director Musical Theo Alcantara.(1983-1990). Em seguida, mudando-se para Pittsburgh, e se tornando a primeira violinista da Orquestra Sinfônica de Pittsburgh, trabalhando com Diretores Musicais como Lorin Maazel, e Mariss Jansons.(1990-2010). Participando em inúmeros gravações com a Orquestra Sinfônica de Pittsburgh em Selos Phillips, EMI, e Deutsche Grammaphon.
Com a mudança para Brasil, Holly aceitou por um ano, a posição de  Professora de Violino (2009) Música nas Escolas de Barra Mansa, Rio de Janeiro. Hoje, ela continua dando aula de particular.

Yuri Reis (spalla)

Yuri Reis, natural de Juiz de Fora-MG, iniciou seus estudos no violino em 2003 no Centro Cultural Pró-Música. Em 2009 participou do festival Eurochestries como spalla da orquestra brasileira convidada e também da orquestra do festival. Em 2010 e 2011 atuou como spalla da OSB Jovem. Ainda em 2011 venceu o 14º Concurso Nacional de Cordas Paulo Bosísio, em 2013 se formou em Bacharelado na Unirio e em 2016 realizou Pós Graduação em música de câmara pela Fabel. Atuou como violinista convidado da OSB e da OPES de 2010 à 2017 e como violinista contratado da OSTM do RJ em 2011,2012 e 2013. Atualmente é diretor artístico e regente da Orquestra Juiz de Fora, violinista do Trio Corcovado, diretor da divisão de música de câmara da UFF, spalla da Orquestra Sinfônica Nacional-UFF e da Camerata de Cordas Villa-Lobos.

Luisa de Castro (concertino)

Luísa de Castro é mestre pela Northwestern University e bacharel pela Unirio. Foi receptora do Anna Schauffler Lockwood Award for Excellence in String Music e do Eckstein Fund Grant. Também recebeu o primeiro prêmio no 12º Concurso Nacional de Cordas Paulo Bosisio. Como membro do Quarteto Kalimera, recebeu o prêmio de Melhor Intérprete de Música Erudita pela Rádio MEC. Foi aluna de Shmuel Ashkenasi, Almita Vamos e Paulo Bosísio. Já participou de festivais dentro e fora do Brasil, tais como: Pacific Music Festival, Chautauqua Music Festival e Youth Orchestras of the Americas. Já se apresentou como solista a frente da Johann Sebastian Rio, Orquestra Sinfônica Nacional, entre outras. Atualmente é concertino da Orquestra Sinfônica Nacional, membro da Johann Sebastian Rio e do Quarteto Kalimera.

Monique Cabral (concertino)

Violinista nascida em Petrópolis iniciou seus estudos em música aos 11 anos. Participou de diversos festivais de música, entre eles o Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão nos anos de 2013, 2014 e 2015, o Festival da Orquestra da Francophonie em Montreal – Canada, do Festival Aigues Vives en Musique na França e o Festival Ilumina de musica de câmara, 2017, 2018 e 2019. Já participou de Masterclass com renomados violinistas, como Pinchas Zukerman e Patinka Kopec. Como camerista ja atuou ao lado de grandes nomes como Jennifer Stumm, Yura Lee e Alevi Kenney. Em 2016 foi convidada pela violista Jennifer Stumm a integrar a Camerata Ilumina. Em 2016 atuou como solista junto a Orquestra Sinfônica da Cesgranrio e terminou o curso de bacharelado em violino na Escola de Música da UFRJ na classe do professor Daniel Guedes. Em 2017 foi aprovada no concurso da Orquestra Sinfonica Nacional da UFF, e hoje integra o naipe de primeiros violinos.

Álvaro Carriello

Nascido em 1985 na cidade do Rio de Janeiro, iniciou seus estudos musicais na Escola de Música Villa-Lobos, em 1998. Graduou-se em violino pela Unirio em 2010 na classe da profa. Mariana Salles, aperfeiçoando-se posteriormente com o prof. Paulo Bosísio. É membro da OSN-UFF desde 2011 e atua também como músico da Camerata de Cordas Villa-Lobos.

Anderson Pequeno

O violinista Anderson Pequeno começou os seus estudos musicais em Brasília, tendo aulas de violino com Karla Oliveto e Marena Salles. Em 2002 mudo-se para o Rio de Janeiro para estudar com o professor Paulo Bosisio, discípulo de Max Rostal, na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro-UNIRIO. Apresenta-se frequentemente com as principais orquestras da cidade, dentre elas a Orquestra de Solistas do Rio de Janeiro, Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Petrobrás Sinfônica e Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal, e em outros estados, com a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais e Orquestra Sinfônica da Bahia. Desde 2009 é violinista da Orquestra Sinfônica Nacional da UFF, aonde atuou como spalla de 2014 à 2017.

Carlos Weidt

Bacharel em Música: Violino (UNIRIO), formado por Paulo Bosisio e Mestrado em Música: Violino (UFRJ). Aperfeiçoou-se com Pérside Leal. Iniciou em 2018 o Doutorado em Música pela UFRJ. É violinista da OSN-UFF, Companhia Bachiana Brasileira e Orquestra Filarmonica do RJ. Apresentou-se na Sala Cecília Meireles, Baden Powell, MAM, entre outros locais. Gravou os programas “Música e Músicos do Brasil” e “Sala de Concerto” pela MEC-FM. Participou do Festival de Música de SC, onde teve aulas com Leon Spierer, Ole Bohn e atuou como “spalla” em 2014. Apresentou recital de violino solo em homenagem a Guerra-Peixe. Participou do I Simpósio de Música e Pesquisa da OSN-UFF. Apresentou as Sonatas e Partitas de Bach para Violino Solo e a série “Recital Bach-Brasil” no CCJF.

Gisele Sampaio

Juan Marcelo Capobianco

Músico e Pesquisador com Pós-Doutorado em Letras Vernáculas (UFRJ), Doutorado em Literatura Comparada (UFF), Mestrado em Literatura Brasileira (UFF), graduação em Direito (UFF) e diversas passagens como membro em Bancas de Qualificação e Defesa (Mestrado/Doutorado). Suas pesquisas incluíram o papel da literatura e sua interpenetração no campo da música, dentre outros aspectos. Violinista da OSN-UFF desde 1993, foi solista nessa orquestra em 1997 e publicou/divulgou o Jornal Virtual da OSN, com edições em 2010, contribuindo na maior difusão do patrimônio histórico e artístico da OSN, em sua missão de fomentadora da produção cultural brasileira. Dedicou-se, paralelamente, à música popular de performance. Atualmente é um dos violinistas mais antigos no naipe da OSN-UFF

Leonardo Fantini

Leonardo Fantini, violinista, é natural do Rio de Janeiro. É bacharel em violino pela Escola de Música da UFRJ, na classe da professora Amarilis Guimarães. Possui pós-graduação em música de câmara pelo Conservatório Brasileiro de Música, na classe do professor David Chew. Foi aluno do violinista Daniel Guedes. Ingressou através de concurso público no corpo orquestral da Orquestra Sinfônica Nacional – UFF no ano de 2009, integrando o naipe dos primeiros violinos desde então, sendo concertino da orquestra no período de 2015 – 2016. Participou como músico convidado em concertos pela Orquestra Sinfônica Brasileira e é integrante da Orquestra de Solistas do Rio de Janeiro.

Tais Soares

Violinista da Orquestra Sinfônica Nacional-UFF, Taís Soares é formada em pela Universidade Federal do Rio de Janeiro no curso de bacharelado em violino na classe do professor Daniel Guedes em 2010, pós-graduada pelo Conservatório Brasileiro de Música na classe do professor David Chew e Mestre em violino pela Unirio sob orientação do professor doutor Luis Carlos Justi. Integrante do grupo CRON, grupo de câmara voltado para música contemporânea brasileira, como também do Grupo 3 por 4 – choro e mpb,  onde toca violino e bandolim. A violinista participou de MasterClasses com Pinchas Zukerman, Elisa Fukuda, Carmelo de los Santos, Simon Bernardini, assim como Festivais como 37th Festival Young Artists Bayreuth, 7o. Festival Internacional di Pasqua, em Cervo na Itália, dentre outros.

Vera Kingkade

Carioca, bacharel em violino pela UFRJ, com especialização em Música de Câmara pelo Conservatório Brasileiro de Música e Mestra em Educação Musical pela UFRJ, desde 1998 é violinista na Orquestra Sinfônica Nacional (OSN-UFF). Anteriormente atuou em várias das orquestra do Rio de Janeiro, tais como Teatro Municipal, Orquestra Sinfônica Brasileira, Pró Música, e em grupos camerísticos, como o então Brasil Consort. Buscando novas formas de se expressar com o violino, embarcou no popular tocando Choro, em projetos como Pixinguinha no Centro, Jazz em barzinhos e como violinista de cantores brasileiros de renome em turnês pelo Brasil, Europa e África. Em sua carreira musical na OSN-UFF, foi spalla, fez parte de comissão artística e de banca do concurso da OSN-UFF durante o ano de 2010, além de contribuir na elaboração do Regimento Interno desta orquestra. Ao longo do percurso profissional, colaborou com a formação de violinistas, deu aulas de música para crianças e jovens em escolas, desde o maternal ao ensino médio, participou como diretora musical e compositora em projetos institucionais e como violinista em gravações. Para esta música, além do violino, cantar, tocar violão e teclado em momentos espontâneos e improvisados de agrupamentos são experiências vitais, já que criar, organizar e projetar sons fazem parte de seu DNA.

SEGUNDOS VIOLINOS


Luiz Felipe Ferreira (líder de naipe)

Bacharel em violino no Conservatório Brasileiro de Música, na classe do professor Tomaz Soares e pós graduado em música de câmara . Tem participado de vários festivais de música no país e no exterior representou o Brasil no Deutsch Skandinavische Jugend-Philharmonie por dois anos seguidos se apresentando na Berliner Philharmonie, em Berlim. Atuou como músico convidado da OSBA, OPES, foi violinista contratado da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro de 2011 até 2013 e da OSB em 2015. Vem atuando frequentemente nos principais espetáculos de teatro musical do Rio de Janeiro como violinista e violista. Desde 2016 é violinista efetivo da Orquestra Sinfônica Nacional – UFF aonde ocupa o cargo de chefe de naipe dos segundos violinos.

Luiz Henrique Lima (líder de naipe)

Iniciou seus estudos de violino com Rosine Reis na Orquestra Jovem de Contagem. Concluiu o Bacharelado em violino na Escola de música da UFRJ, na classe de Daniel Guedes. Participou de Diversos Festivais e encontros de orquestras, como o “37° German-scandinavian Youth Philharmonic”, em Berlim, o 6° e 10° edições do “ Festival Internazionale Orchestre Giovanili Europee”, em Roma, “37° International Youth & Music Festival Competition”, em Viena, “IX e XIV Orchestrades De Catalunya”, 42, 44 e 45° edições do “Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão” e da 6 e 7° edições do “ Festival de Música de Santa Catarina (FEMUSC)”.

Aysllany Edifrance (concertino)

Nascida em João Pessoa-PB, Aysllany iniciou seus estudos de violino aos 7 anos na Universidade Federal da Paraíba – Curso de Extensão – com a professora Annie Josete. Em 2002 ingressou no Curso Médio na Escola de Música Anthenor Navarro – Funesc, onde esteve sob a orientação dos professores Ronedilk Dantas e Sandra Aquino, e no ano de 2008 inicia seu Bacharelado em Música na UFPB, sob orientação do professor Yerko Pinto, transferindo-se para UFRJ no ano de 2010, onde conclui o curso em 2014 na classe do professor Daniel Guedes. Aysllany já participou de festivais no Brasil como Festival de Música Colonial e Música Antiga de Juiz de Fora, Festival de Música de Santa Cataria (FEMUSC) e Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão. Foi integrante da última formação da Camerata Brasílica (PB). No ano de 2012 participou do projeto de intercâmbio “Música de Câmara Brasileira” na Escola Superior de Música de Karlsruhe (Hochschule für Musik, Alemanha), consequência do convênio que a UFRJ mantém com esta escola. Participou de Master Classes com professores como Leon Spierer (Filarmônica de Berlim), Pinchas Zukerman (Israel), Simon Bernardini (Filarmônica de Berlim) e John McGrosso (Arianna String Quartet). Atualmente é violinista da Orquestra Sinfônica Nacional da UFF e pós-graduada em educação musical.

Daniel Andrade

Bacharelado em violino pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e pós graduado em música de câmera pelo Conservatório Brasileiro de Música. Atualmente é violinista da Orquestra Sinfônica Nacional – Universidade Federal Fluminense  e da Orquestra Filarmônica de Petrópolis e atuou também como membro Orquestra Sinfônica da Escola de Música da UFRJ , com as quais gravou vários cd’s e dvd’s.
Professor de violino pelo método Suzuki e tradicional. Atualmente é professor de violino e regente da orquestra Guerra Peixe do programa Aprendiz, na cidade de Niterói –RJ.

Deivison Branco

Pós-graduado em música de câmara e violinista da Orquestra Sinfônica Nacional UFF. Presidiu da Comissão Artística da OSN UFF de 2015 a 2018. No período de 2007 a 2013 foi regente da Orquestra Jovem de Niterói. Como professor convidado participou de festivais no Brasil e Noruega. Entre os anos de 2016 a 2018 dirigiu a Divisão de Música de Câmara do Centro de Artes da UFF. Foi Diretor Musical do filme O Sonho do Império e o Império do Sonho (com o Grupo Música Antiga da UFF ). Foi diretor artístico do Festival Conexões Musicais.

Elisa Pais

Iniciou seus estudos de violino aos 7 anos de idade na Escola Nacional de Música da UFRJ. Desde então vem participando de Master Class, Cursos e Festivais tendo aulas com renomados professores tais como: Paulo Bosísio (RJ), Cláudio Cruz (SP), Ênio Antunes (SP), Esdras Rodrigues (SP), Norberto Garcia (Argentina), Jean-Erick Soucy (Alemanha), entre outros. Concluiu o bacharel em violino pela UFRJ com o Mestre Michel Bessler. Realizou Pós-graduação em Arte e Terapia e Pós-Graduação em Educação no Ensino Superior, ambas na Universidade Cândido Mendes. Tocou com diversas celebridades tais como: Bibi Ferreira, Elza Soares, Juca Chaves, Marília Pêra, Emílio Santiago, Roupa Nova, Quarteto em Cy, Aline Barros, Kleber Lucas, Ludmila Ferber, Rose Nascimento. Participou da Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra do Conservatório Brasileiro de Música, Orquestra Sinfônica Petrobrás Coral, Orquestra Sinfônica da UFRJ (na qual já atuou como spalla), Orquestra Sinfônica Maestro David Machado em Campos dos Goytacazes e Orquestra Sinfônica Nacional da UFF na qual passou em primeiro lugar no concurso de 2004 e é integrante desde então.

Juliana Fernandes

Juliana Fernandes é violinista efetiva da Orquestra Sinfônica Nacional da Universidade Federal Fluminense desde 2004. Iniciou-se sua carreira profissional em 1995 como violinista da Orquestra Filarmônica de Goiás e professora de violino no Centro Cultural Prof. Gustav Ritter. Mudou-se para o Rio de Janeiro onde concluiu seu bacharelado em violino e licenciatura em música pelo Conservatório Brasileiro de Música. Fez sua pós-graduação na Universidade Cândido Mendes em Educação Musical e Ensino de Artes. Foi violinista da Orquestra de Câmara do Conservatório Brasileiro de Música e professora de violino em várias escolas de música, como o Centro Musical Antônio Adolfo e o Conservatório de Música de Niterói, além do Programa Social Aprendiz-Música na Escola. Teve como principais professores Marena Salles, Carmelita Reis, Paulo Bosísio e Mariana Salles.

Keeyth Vianna

Keeyth Vianna é mestre em Ensino das Práticas Musicais pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro e bacharel em violino (UNIRIO), na classe do Prof. Dr. Paulo Bosisio. Participou de festivais e orquestras, tais como:  Festival Junger Künstler Bayreuth (Alemanha), Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal-RJ, Cia Brasileira de Ópera, Orquestra Sinfônica de Jovens do Mercosul, Orquestra Jovem Latino Americana (Venezuela), Orquestra Juvenil lbero-Americana (Venezuela), Orquestra Sinfônica Mariucca Iacovino (turnês: Portugal e EUA), dentre outras. Sua atuação como professora na ONG Orquestrando a Vida despertou seu interesse pela didática, levando ao desenvolvimento de um método para ensino do violino para crianças, utilizando canções folclóricas brasileiras como repertório. Escreveu artigos sobre a pedagogia do violino, publicados em revista e simpósios especializados em educação musical. Originalmente dissertação de seu mestrado, o método “As Aventuras Musicais de Aipim- O Aprendiz de Violino” transformou-se no primeiro livro da autora, publicado pela editora Musimed.

Priscila Farias

Mestre, Bacharel e professora pela Escola de Música da UFRJ. Pós-Graduada em Docência do Ensino Superior pela Universidade Cândido Mendes, com a monografia “Inteligência Emocional Aplicada ao Ensino de Violino”. Em 2006 participou das “Primeiras Jornadas de Investigação em Música Acadêmica Latino-americana” em Mendoza, Argentina, com a monografia “A Escrita Idiomática do Concertino para Violino e Orquestra de Câmara de Cesar Guerra Peixe. Recebeu a Moção Honrosa pela Câmara de Vereadores do RJ pela atuação na Orquestra Filamônica do RJ. Lecionou na Escola de Música da FAETEC e na Escola de Música Prof. Weberty Bernadino Aniceto, onde recebeu o prêmio “Destaque em Música” pelo trabalho da Orquestra Vida de Violinos. É Violinista da Orquestra Sinfônica Nacional desde 1993.

Renata Athayde

Iniciou seus estudos de violino com o professor Ademar Rocha, pelo Método Suzuki, Projeto Espiral, em João Pessoa/PB. É bacharel em Psicologia e bacharel em Música/Violino pela UFPB, na classe do professor Yerko Tabilo. É mestre em Música, Processos Criativos, pela UFRJ. Foi violinista integrante da Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba; Orquestra de Câmara da Cidade de João Pessoa, Orquestra Sinfônica de Sergipe; Orquestra Sinfônica Brasileira Jovem e Orquestra Sinfônica do Estado do Espírito Santo. Atuou como violinista convidada da Orquestra Sinfônica da Paraíba e OSN. Foi integrante da Camerata Paraíba, Quarteto Terra e Quinteto de cordas da Orquestra Sinfônica do Estado do Espírito Santo. Tocou nos musicais Bibi canta Sinatra, Bibi conta e canta Piaf e Love Story. Participou do Festival de Música Eleazar de Carvalho e Festival de Música de Santa Catarina. Atualmente é violinista da OSN e da Orquestra de Solistas do Rio de Janeiro.

Rubem de Oliveira

Sônia Nogueira

Violinista, iniciou seus estudos com a professora Rachel Ciuffo e em seguida, Paulo Bosisio. Estudou na Escola de Música da UFRJ concluindo o Bacharelado no Conservatório Brasileiro de Música sob orientação da professora Carmelita Reis. É Pós Graduada em Música de Câmara pela CBM. Tocou nas seguintes orquestras: Orquestra de Câmara de Niterói sob regência do maestro Roberto Duarte, Orquestra Sinfônica Brasileira sob a regência do maestro Isaac Karabtchevsk, Orquestra Sinfônica da Paraíba sob a regência do maestro Eleazar de Carvalho e Orquestra de Câmara do CBM sob a regência do maestro Marco Maceri. Participou em festivais de inverno em Campos do Jordão e Curitiba e de verão em Brasília e FEMUSC. É integrante da Orquestra Sinfônica Nacional UFF desde 1989 no qual foi líder de naipe dos segundos violinos por 15 anos.

VIOLA


Clara Santos (líder de naipe)

Clara Santos, Violista e Violinista formada pela UFRJ. Pós Graduada em Música de Câmara pelo Centro Cultural Cecília Conde. Participou de festivais nacionais e internacionais sendo alguns deles Festival Internacional de Campos do Jordão, Festival de Música de Belém do Pará entre outros na França, Canadá e no México. Esteve como convidada em orquestras do Brasil como a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, Orquestra Petrobrás Sinfônica, Orquestra do Estado do Mato Grosso, Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Orquestra Sinfônica Brasileira e OSESP. Cursou a Academia de Música da Osesp nas temporadas de 2015 a 2017. Atualmente cursa o Mestrado profissional de música da UFRJ e atua como chefe do naipe de Violas da Orquestra Sinfônica Nacional.

Diego Silva (concertino)

Nascido em 1983, iniciou seus estudos de música aos 13 no Violino, hoje é Bacharel em viola pela UFRJ e pós graduado em música de câmera. Atua como Concertino das violas na Orquestra Sinfônica Nacional da UFF (OSN-UFF) desde Fevereiro de 2011. No período de 2007 à 2011 integrou o naipe de violas da Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal. Ao longo de sua carreira tem participado como músico convidado das orquestras: Petrobras Sinfônica, Sinfônica da Bahia (OSBA), Filarmônica de MG, Bachianas Brasileira entre outras. Participou como bolsista em 2010 do Festival internacional de Campos do Jordão, sendo orientado por grandes músicos como: Pinchas Zukerman, Gilles apap, Horácio Scheffer, Ilya Kaler entre outros. Como camerista é violista do quarteto Metacustico.

Carlos Henrique Fernandes

Inicou seus estudos musicais aos 9 anos de idade aprendendo violino com o Professor Carlos Eduardo Moreno e cantando no Coral Canarinhos de Petrópolis.Deu continuidade aos seus estudos com Professores como Alysio de Matos, Marco Antonio La vigne e paulo Bosísio.Bacharel em viola pela UNI-RIO e Pós – Graduado em Música de Câmara pelo Conservatório Brasileiro de Música.Autor do artigo. A música como ferramenta de inclusão social:o caso da Ação Social pela música no Brasil e o El Sistema Venezuelano. Professor de viola e violino no projeto social PELC.

Daniel Prazeres

Fernando Thebaldi

Mestre em música pelos conservatórios Real de Haia e de Rotterdam na Holanda, Thebaldi tem seu passaporte carimbado por diversas entradas em países das Américas, África e Europa, onde além de recitalista e concertista, desenvolve regularmente atividades pedagógicas. É frequentemente convidado para solos a frente de orquestras como a OSN-UFF, Petrobras Sinfônica, Orquestra Sinfônica da Universidade Federal da Paraíba e outras respeitadas instituições orquestrais nacionais e além-mar.  Premiado com segundo lugar no Grammy Latino 2012 pela gravação em DVD e BluRay dos 17 quartetos de cordas de Villa-Lobos. Thebaldi se destaca como o único violista brasileiro a registrar essa desafiante obra do maior compositor brasileiro.

Reneide Simões

Iniciou seus estudos em violino e viola no Projeto “Volta Redonda Cidade da Música” com a violinista Maria José da Silva, Carlos Moreno, Erasmo Carlos Fernandes e Ricardo Amado. É bacharel em música com habilitação em viola pela Escola de Música da UFRJ, sob a orientação de Allysio de Mattos e pós graduada em Docência do Ensino Superior pela Faculdade Barão de Mauá. Integrante do naipe de violas da Orquestra Sinfônica Nacional da UFF desde 2011. Participou de masterclasses com grandes instrumentistas do cenário musical como Alexandre Razera, Marcelo Jaffé, Peter Pas, Renato Bandel. Atualmente, é professora no Projeto Volta Redonda Cidade da Música e integrante da Orquestra de Cordas de Volta Redonda, Orquestra de Violinos de Volta Redonda, Coro Misto do Projeto. Tem se aperfeiçoado com Paulo Bosísio.

Stoyan Gomide

Stoyan Gomide começou seus estudos musicais na Pró-Arte e na Casa de Cultura Rio. Posteriormente passou a estudar com o professor Marco Lavigne e ingressou na UNIRIO para bacharelado em Viola, onde graduou-se. Além da OSN UFF, atuou em orquestras como a Petrobrás Sinfônica, Cia Bachiana Brasileira, Sinfônica da Bahia, mantendo simultaneamente trabalhos em grupos de câmara, em espetáculos de teatro-musical e com artistas da música popular brasileira.Atualmente é pós-graduado em música de câmara pelo Conservatório Brasileiro de Música e desde 2011 é violista da Orquestra Sinfônica Nacional.

Tina Werneck

É bacharel em viola pela UNI-RIO e mestre em Música pela UFRJ com a dissertação “O violino na música popular urbana carioca – 1850 a 1950” (2013). Desde 2004 é violista efetiva da Orquestra Sinfônica Nacional-UFF. Solista integrante do Quarteto Alevare, especializado na música de Astor Piazzolla que tem como registro os CDs Piazzolla por mãos brasileiras (2007) e Piazzolla segundo Alevare, (2010). É violista do cAis quarteto de cordas, conjunto feminino que desde 2015 desenvolve um repertório autoral visando o desenvolvimento na área da improvisação e dos arranjos, com base na música popular brasileira e universal. Participa do Jonas Hocherman Septeto desde 2016. É violista, violonista e cantora e compositora do Coletivo cHuVe.

VIOLONCELO


Diana Lacerda (líder de naipe)

Natural do Rio de Janeiro, diplomada em violoncelo na classe do professor Ranevsky. Estudou com o professor Márcio Malard. Integrou o Rio Cello Ensemble e com esse grupo, fez três tournées pela Europa, uma pela Argentina, além de apresentações e gravações no Brasil. Integrou a OSB, como concertino do naipe e como solista a frente da orquestra. Integrou a Orquestra do teatro municipal de São Paulo e a orquestra sinfônica de Santo André. Atualmente integra a orquestra Sinfônica Nacional da UFF e a Orquestra Petrobras Sinfônica.

Marcus Ribeiro (concertino)

Daniel Silva

Violoncelo Natural de Niterói RJ , iniciou seus estudos de violoncelo com Nerisa Aldrighi e aperfeiçoou com Atelisa Salles, Marcelo Salles, Iura Ranevsky, Alceu Reis dentre outros. Participou de Festivais como o Bayreuth Festival of Young Artists (DE), Festival Internacional de Campos do Jordão (BR), Femusc (BR), Orquestra Sinfônica CAF latino-americana sob a regência do Maestro Gustavo Dudamel (VE), entre outros. Como solista foi vencedor do Concurso Jovens Solistas da OSB Jovem. Daniel é Bacharel em música pela UFRJ, pós-graduado pelo CBM, integrante da Orquestra Sinfônica Nacional, do Quarteto Kalimera e do Quarteto MetAcústico.

Gabriela Sepúlveda

Formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em violoncelo, tem pos graduação em docência do ensino médio e fundamental pela universidade Cândido Mendes. Além da orquestra, dedica-se a música de câmara, shows acompanhando grandes nomes da música brasileira, gravações e ao ensino da música e violoncelo.

Hudson Lima

Mestre em Musicologia com ênfase em Etnografia das Práticas Musicais – Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Atuação em atividades artísticas com ênfase em Música. Bacharel em Música – habilitação violoncelo – Universidade Federal do Rio de Janeiro. (UFRJ) Músico violoncelista da Orquestra Sinfônica Nacional – Universidade Federal Fluminense (UFF) Membro da Escola Lacaniana de Psicanálise do Rio de Janeiro, Professor de violoncelo (Escola de Música Villa-Lobos-RJ), Professor convidado Pós-graduação Lato sensu (CBM-CEU).

Janaina Salles*

Mestre em violoncelo pela Hochschule Musik Luzern, na Suíça, classe de Marek Jerie (Guarnieri Trio Prague), e bacharel no instrumento pelo Conservatoire Supérieur Tibor Varga, classe de Márcio Carneiro, na Suíça, obtendo a menção “avec distinction du jury”. Participou ativamente de masterclasses ministradas por Antonio Meneses, Frans Helmerson, François Guye, Gerhart Darmstadt e Leslie Parnas, assim como de diversos festivais nacionais e internacionais. Entre eles se destacam a Académie de Musique de Sion (Suíça), o Curso de Aperfeiçoamento de Violoncello de Gubbio (Italia), o Manchester Internacional Cello Festival (Inglaterra), The Britten-Pears Festival (Inglaterra), Campos do Jordão e Curitiba. A convite do SESC formou o Quarteto Belmonte, que levou a música de Edino Krieger e das Bienais de Música Contemporânea por todos os estados do Brasil. Atualmente reside no Rio de Janeiro e é violoncelista da Orquestra Sinfônica Nacional da UFF.

Luciano Corrêa*

Ronildo Alves

CONTRABAIXO


Raul d’Oliveira (líder de naipe)

Natural do Rio de Janeiro é Mestre em Musicologia pela UNIRIO e Bacharel em Contrabaixo pela mesma instituição, na classe do professor Antonio Arzolla. Desde 2005 é contrabaixista da Orquestra Sinfônica Nacional – UFF, quando obteve o primeiro lugar geral do concurso. Participou de Master-Classes com renomados professores como Jeff Bradetich, Eugene Levinson, Massimo Giorgi, Hans Roelofsen, David Murray e Alexandra Scott. É professor de contrabaixo, já tendo atuado na UNIRIO (curso de extensão) e na Escola de Música Villa-Lobos. Na música popular tem uma longa trajetória como baixista elétrico e acústico em inúmeros musicais, tais como O Homem de La Mancha, Cazuza, Alô Dolly, entre outros. Foi fundador do Quarteto Alevare com o qual gravou os CDs Piazzolla por mãos Brasileiras e Piazzolla segundo Alevare – indicado ao Prêmio da Música Brasileira em 2012. Desde 2015 é líder do naipe de contrabaixos da OSN-UFF.

Natália Terra (concertino)

Natália Terra iniciou seus estudos de contrabaixo aos 13 anos em sua cidade Natal, Campos – RJ. Cursou Bacharelado em Música pela Unirio na classe do professor Antônio Arzolla e mestrado em educação musical na UFRJ.  Integrou por 5 anos o naipe de contrabaixos da Orquestra Sinfônica Brasileira Jovem, inclusive como solista. Participou de diversas master classes com renomados contrabaixista, como Catalin Rotaru, Alex Scott, Pedro Gadelha, Giuseppe Ettorre, Alberto Bocini, Cristian Braica, dentre outros. Desde o início de sua formação musical vem participando de Festivais de Música, podendo destacar o Festival de Inverno de Campos do Jordão e a Deutsche Skandinavische Jugend Philharmonie, onde atuou como chefe de naipe. Em 2011 passou a integrar a Orquestra Sinfônica Nacional – UFF.

Cláudio Alves

Claudio Alves nasceu no Rio de Janeiro em 1979. Iniciou seus estudos de contrabaixo em 1999, com o Prof. Sandrino Santoro. Bacharel em contrabaixo e Mestre em práticas interpretativas pela Escola de Música da UFRJ. Integrou o naipe da Petrobrás Sinfônica na temporada 2006 e da OSB nas temporadas de 2007 e 2008. Professor de graduação em contrabaixo do Conservatório Brasileiro de Música. Integra o naipe da Orquestra Sinfônica Nacional (UFF) desde 2016. Membro fundador da OSRJ (Orquestra de Solistas do Rio de Janeiro) Já atuou, como convidado no grupo de musica contemporânea CRON, Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Orquestra Petrobrás Sinfônica, OSB, Filarmônica do Espírito Santo, Festival de Ópera do theatro da Paz (PA) e Orquestra Ouro Preto (MG).

Damu Shiva

Gael Lhoumeau

Iniciou os estudos de violoncelo, contrabaixo e escritura musical na França. Obteve o Diploma de Mestrado em contrabaixo, na classe do Pr Etienne Siebens, no Conservatório Real de Bruxelas (Bélgica), em 1996. Foi membro das orquestras nacionais jovens de França, Bélgica e Holanda. Colaborou com várias orquestras sinfônicas na Bélgica (Orchestre de la Monnaie, Orchestre National, entre outros) e foi membro do Black Jackets Ensemble (música contemporânea).  Se mudou para o Brasil em 2000. Foi contrabaixista da Orquestra Sinfônica Brasileira e da Orquestra Petrobrás-Sinfônica antes de ingressar na OSN-UFF em 2016. Gael apresentou recitais de contrabaixo e piano na Bélgica e no Brasil e ministrou aulas em vários festivais, como o 9o Encontro Internacional de Contrabaixo em Goiânia (2011).

Jorge Oscar

Lise Bastos

Contrabaixista da OSN desde 2011. Mestre em Narrativas Cinematográficas pela Escola Superior de Teatro e Cinema (Lisboa) e bacharel em contrabaixo pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (prof. Antônio Arzolla). Em 2010 participou de concertos sob a batuta do Maestro Gustavo Dudamel (Venezuela), no mesmo ano executou o concerto para contrabaixo e orquestra de S. Koussevitzky, prêmio do concurso Jovens Solistas da UNI-Rio. Esteve em diversos festivais de música com destaque para o Festival de Campos de Jordão em 2008 (Maestro Kurt Masur), e do Bayreuth’s Young Artists Festival na Alemanha em 2008 e 2009. Tem dois discos lançados no Brasil, com os grupos Três (2011) e Gravíssimo Bass Ensemble (2013). No audiovisual teve sua primeira curta-metragem “Mãos Dadas” lançada no Brasil e Portugal em 2013/14. Participou da exibição de arte contemporânea Paratíssima (Lisboa, 2016) e da mostra “Universo Feminino – Singular e Plural” (Camaçari, 2017).

FLAUTA


Helder Teixeira

Doutor em Execução Musical (Flauta) pela Universidade Federal da Bahia. Seus principais orientadores foram Dr Celso Woltzenlogel, na Escola de Música da UFRJ (RJ), Prof. Gueorgui Spassov, Conservatório Búlgaro de Música (Sofia – Bulgária) e Dr. Lucas Robatto na UFBA – Salvador. Participou de concursos nacionais e internacionais para jovens concertistas, destacando-se em sua maioria, como no Concurso Jovens Concertistas Brasileiros na versão do Rio de Janeiro e de São Paulo, obtendo em ambos o 1º Lugar. Realizou concertos em turnês pela Europa, na Suíça e França, e na Ásia se apresentando no Vietnan e em Cingapura. Sob o selo KUARUP publicou a obra completa para flauta e piano de Pattápio Silva entre outros autores.


Murilo Barquete

Carioca, estudou com Jorge Ferreira da Silva, Marcilda de Oliveira Clis, Altamiro Carrilho e Celso Woltzenlogel, com quem concluiu o Bacharelado em Flauta Transversa pela Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro e pós graduado em Música de Câmara, pela Universidade de Belford Roxo. Premiado em vários concursos relevantes, atuou como solista em diversas capitais sul-americanas, sempre com referências elogiosas da crítica especializada. Em 1992, teve seu Prelúdio para Orquestra estreado pelos maestros Chleo Goulart e Armando Prazeres. É autor da concepção sinfônica e eletroacústica do projeto Sinfonia Urbana, de 1997, do Grupo Educart. Autor dos arranjos da Coleção Música Brasileira para Conjuntos de Flauta, vol. 3 e, em 2018, teve sua Sinfonia nº1 estreada pela Orquestra Sinfônica Nacional, sob a regência do maestro Tobias Volkman.

OBOÉ


Jeferson Nery

Iniciou seus estudos de oboé aos 18 anos orientado pelo professor Hilton Caetano e José Francisco na UFRJ, graduou-se pela UNIRIO na classe do professor Luis Carlos Justi e é Pós graduação em música de câmara pela FABEL. Já se apresentou como solista frente a OSN-UFF, Orquestra de câmara do V festival internacional de sopros-RJ e Orquestra da UNIRIO como vencedor do concurso para Jovens Solistas. Participou de vários cursos e festivais, tendo aula com renomados oboistas como Albrecht Mayer, Thomas Indermuhle, Washington Barella, Alex Klein, Jean-Louis Capezzali… Participou como músico convidado na OSB, OSTMRJ, OPES, OSES, OSBA entre outras. Atuou como 1º oboé na OAF e professor de oboé no Liceu de Artes e Ofício Claudio Santoro. Atualmente lidera o naipe de oboés da OSN-UFF e OSRJ.


Moisés Maciel

Rodrigo Herculano

Rodrigo Herculano é bacharel em Música, com habilitação em oboé pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (2016), tendo se aperfeiçoado neste instrumento sob a orientação do professor Luís Carlos Justi. Atuou como solista da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro (2013-2019). Trabalhou como chefe de naipe na Orquestra Sinfônica da Bahia (2017). Atualmente é oboé solista da Orquestra Petrobras Sinfônica e oboísta da Orquestra Sinfônica Nacional UFF. Tem participação ativa no cenário camerístico carioca, participou da III Semana Internacional de Música de Câmara do Rio de Janeiro(2014), IV Semana Internacional de Música de Câmara do Rio de Janeiro(2015), atuado com grandes nomes da música nacional e internacional. No ano de 2016, participou da temporada de concertos do Quinteto Villa-Lobos, em substituição ao professor Luís Carlos Justi. No ano de 2016 ministrou o curso de Oboé do 36º Festival de música de Londrina. Cursou masterclasses com diversos oboístas consagrados como Albrecht Mayer, Gordon Hunt, Nicholas Daniel, Washington Barella, Thomas Indermuhle, Alex Klein e Paulo Rogério.

CLARINETA


Tiago Teixeira (líder de naipe)

Mestre pelo Programa de Pós-Graduação Profissional em Música da UFRJ (PROMUS), também é especialista (lato sensu) em Educação Musical no Centro Universitário Claretiano – São Paulo. É Bacharel em Clarineta pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, na classe do Professor Cristiano Alves. Iniciou seus estudos em clarineta aos nove anos com José Flávio Pereira. Integrou algumas orquestras, entre elas,  Orquestra Sinfônica de Barra Mansa, Orquestra Sinfônica Brasileira Jovem, Orquestra Sinfônica do Estado do Espírito Santo e Orquestra Sinfônica Brasileira. Como solista esteve à frente dos grupos, OSBM, AJC (Academia Jovem Concertante) e OSN-UFF. Atualmente integra a Orquestra Sinfônica Nacional da Universidade Federal Fluminense e é artista patrocinado pela marca de palhetas Marca Reeds France.


Anderson Alves

Doutorando em música pela UFRJ, mestre em Música pela Universidade de Brasília e Bacharel em clarineta pela Universidade Estadual de Campinas. Atuou como clarinetista da Orquestra Sinfônica Municipal de Americana-SP, Banda Sinfônica Municipal de Sumaré-SP, e como clarinetista convidado da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas-SP, e Orquestra Sinfônica de São Paulo. Mantém intensa atividade como pesquisador no campo da cognição musical e psicologia da música, investigando os processos de construção da expertise musical. É professor substituto da classe de clarinetas da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Cesar Bonan

Mestre em música pela UFRJ, iniciou seus estudos de clarineta em 2000 com o professor Uldemberg Fernandes, na Banda Sinfônica Campesina Friburguense. Em 2007, ingressou na Escola de Música Villa-Lobos, onde teve aulas com o professor José Botelho e, em 2009, iniciou o Bacharelado em Clarineta na Escola de Música da UFRJ, na classe do professor Cristiano Alves. Esteve em eventos no Brasil e no exterior, dentre eles o II Encontro Internacional de Clarinetas de Tucumán, Argentina, e o Festival Brasil-Alemanha em Karlsruhe, Alemanha. Participou de masterclasses com importantes clarinetistas como Michael Collins, Romain Guyot, Eduard Brunner, Mariano Rey, Juan Ferrer, Nuno Pinto, Sergio Burgani, entre outros. É clarinetista do Quinteto Lorenzo Fernandez e da Orquestra Sinfônica Nacional da UFF.

 

FAGOTE


Marcos Campos (líder de naipe)

Marcos Jose Reis Campos é Bacharel em Música, Habilitação em Instrumento (Fagote), pela UNIRIO-Universidade do Rio de Janeiro, (classe do professor Elione Medeiros) e, Pós-Graduado em Docência do Ensino Superior(LATO SENSU). Iniciou seus estudos com o Mestre Noel Devos, fez Master Class com os professores Gerald Corey(Canada) e Afonso Venturieri(Brasil-Suíça). Atuou como Fagotista e Contrafagotista nas Orquestras: Orquestra Sinfônica Brasileira, Sinfônica da UFRJ, Sinfônica do Teatro Municipal do Rio de Janeiro,Sinfônica do Parana, Petrobras Sinfônica, Filarmônica do RJ. Foi músico da Banda Sinfônica do Corpo de Bombeiros do RJ, onde se desligou da coorporacao como Sub-Oficial Mestre de Música (Maestro Auxiliar). Atualmente é Fagotista e Contrafagotista da Orquestra Sinfônica Nacional-UFF.


Cosme José Marques

Músico – fagotista da Orquestra Sinfônica Nacional da Universidade Federal Fluminense (OSN-UFF) desde 1989. Bacharel em Música pela UNIRIO (1986), com aperfeiçoamento no Schubertkonservatorium de Viena – Áustria (1993/94). Estudou com Noël Devos, Elione Medeiros, Aloisio Fagerlande e Wolfgang Stadler. Atuou na orquestra do Teatro Municipal do RJ (temporada 1989) e na Orquestra Petrobras Sinfônica (1989/1993). Como músico convidado tocou com OSBA, OSPA, OSB, Orquestra da Technicheuniversitat de Viena. Doutor em Memória Social pelo PPGMS da UNIRIO, junho de 2017. Mestre em Memória Social (2012). Possui graduação em Direito pela Universidade Estácio de Sá.

Jeferson Souza

Mestre em música e Bacharel em fagote pela Escola de Música da UFRJ na classe do professor Aloysio Fagerlande. Integrou a Orquestra Sinfônica de Barra Mansa e Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Em 2013 Estudou como aluno de intercâmbio na Hochschule für Musik – Karlsruhe – Alemanha na classe do professor David Tomas-Realp. Como músico convidado colaborou com a Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Petrobrás Sinfônica, Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo e Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. Atualmente é fagotista no Quinteto Lorenzo Fernandez e na Orquestra Sinfônica Nacional UFF.

TROMPA


Marco Vilas Boas (líder de naipe)

Natural de Volta Redonda, Marco Vilas Bôas deu início aos estudos musicais no ano de 1995 na Fundação Educacional de Volta Redonda (FEVRE). Pós-Graduado em Música de Câmara pelo Conservatório Brasileiro de Música (CBM) e Bacharel em Trompa pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) na turma do Professor Zdenek Svab, atualmente é trompista da OSN-UFF (Orquestra Sinfônica Nacional da Universidade Federal Fluminense), antes integrou a Orquestra Sinfônica Brasileira Jovem e a Banda Sinfônica da CSN (Companhia Siderúrgica Nacional). É um dos idealizadores e membro fundador da BFRJ (Banda Filarmônica do Rio de Janeiro) onde permaneceu até 2013. Participou de diversos festivais por todo o Brasil e acompanhou grandes nomes da música popular brasileira


Dayanderson Dantas

Natural de Cruzeta – RN é bacharel em trompa pela UFRN. Participou dos principais festivais de música nacional e internacional, dentre eles se destacam o Festival Eleazar de Carvalho – CE (2010-2011), Femusc – SC (2014), HornWeek – Holanda (2014), HornWeek – Polônia (2015), Sesc Pelotas – RS (2017) e 49º IHS – RN (2017). Em 2014 foi bolsista do programa UNIBRAL/CAPES para estudar um ano na HFM Karlsruhe – Alemanha, sob orientação do professor Will Sanders. Como músico convidado toco na: OSB, 9º Sparda Classic Award Kammerorchester, em Weingarten- Alemanha, OSRN, OSPB, OFC e 1º trompa da ORSSE em 2015 – 2016. Atuou como solista frente a OSFEC em 2010, onde foi vencedor do concurso para jovem solista, Orquestra de Câmara da UFRN em 2013 e Orquestra Sinfônica Nacional – UFF em 2018.

Geraldo Alves

Waleska Beltrami

Trompista da Orquestra Sinfônica Nacional da Universidade Federal Fluminense (UFF) e Doutora em música pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), foi vencedora de vários concursos nacionais na qualidade de solista. Em julho de 2006 recebeu o título de Mestre em Música pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), ocasião em que teve seu trabalho indicado para publicação. Como camerista, colabora com o Grupo Cron – Música Contemporânea. É membro da Associação de Trompistas do Brasil (ATB) e da International Horn Society (IHS). Em setembro de 2016 se apresentou como artista convidada do 49th International Horn Symposium, na cidade de Natal/RN.

TROMPETE


Flávio Melo (líder de naipe)


Delton Braga

Natural do Rio de Janeiro , iniciou seus estudos musicais aos nove anos de   idade. Formação acadêmica: Graduação pela UFRJ em Música-Trompete ,em 1996. Pós graduação em ”Docência do Ensino Médio e Fundamental” , “Docência do Ensino Superior” pela  Faculdade Cândido Mendes, Portal Formação “Didática do Ensino Superior”. Em 1989 prestou concurso para OSN (Orquestra Sinfônica Nacional) –UFF, a qual integra. Trompetista na Banda Portugal do Rio de Janeiro  e  da Banda do Colégio Salesiano de Santa Rosa. Atuação em apresentações das Orquestras: Orquestra do Teatro Municipal do Rio de Janeiro (OSTMRJ); Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB), OPES. Em grupos camerísticos , atuou no Metal Transformação (Conjunto de Metais, Quinteto Metal-Rio, , Quinteto ACinco.

Elias Vicentino

Elias Vicentino é natural do Rio de Janeiro. Iniciou seus estudos musicais aos 11 anos de idade em uma Igreja Evangélica. Estudou na Escola de Música Villa-Lobos e logo após ingressou na Escola de Música da UFRJ, onde concluiu o Curso de Bacharel e Licenciatura Plena em Trompete com o Prof. Rubens Brandão. Retornou à UFRJ em 2003, desta vez para estudar Regência com o maestro André Cardoso, onde concluiu o Curso de Bacharel em Regência, tendo colado grau em agosto de 2010. Aperfeiçoou-se em regência com Andréas Weiss, Claude Villaret, Lígia Amadio, Roberto Duarte e Luis Gorelik. Elias Vicentino é fundador da Banda Livre de Música (CEIM/UFF), onde atuou como regente. Atuou como maestro convidado em Concertos com a Orquestra Sinfônica Nacional. Atualmente é trompetista da OSN/UFF e professor da FAETEC, onde vem desenvolvendo um trabalho como maestro do Coral e também da Orquestra de câmara do Cetep-Barreto, onde realizou vários concertos com esta orquestra de jovens em várias salas de concerto do Estado do Rio de Janeiro.

Nelson Oliveira

Natural do Rio de Janeiro é Graduado pela Escola de Música da UFRJ onde cursou também o Mestrado em Música. É Pós-Graduado em Docência do Ensino Superior pela Universidade Cândido Mendes. É trompetista da OSN UFF desde 1991. Integra também o Quinteto de Metais MP5 e a OPES. Integrou a OSB,atuando também como solista na Série “Concertos para a Juventude”,e a Orq. Sinfônica do Theatro Municipal do RJ. Atuou na Orq.de Jovens do Mercosul e na Orq. Jovem da FUNARJ,participando de inúmeras gravações com as referidas orquestras. Foi professor de trompete da Escola de Música Villa-Lobos ,Escola de Música da UFRJ; e músico da Banda Sinfônica do Corpo de Bombeiros do Estado do RJ. Teve como Mestres os trompetistas Arthur Terry,Rubens Brandão e Kenneth AuBuchon.

TROMBONE

Ezequiel Alexandre

TUBA


Carlos Vega (líder de naipe)

Natural do Rio de Janeiro, iniciou seus estudos musicais com o Prof. Raimundo dos Santos. Participou de Workshops com os professores João Luis Areias, Marcos dos Anjos , Daniel Havens , Raymond Stewart  e Zénio de Alencar. Estudou na Escola de Música da UFRJ ,foi músico integrante da Banda Sinfônica do Corpo de Fuzileiros Navais,participando também dos festivais de música de Curitiba, Brasilia, Londrina e Campos (RJ). Atuou como professor do Curso de atualização dos músicos de banda, o “Banda Larga” (2009).Vem atuando como convidado nas Orquestras OSB, Theatro Municipal do RJ, OPES e no Quinteto de Metais da OPES. É tubista da OSN-UFF, Quinteto de Metais MP5,Quinteto Brasileiro de Metais, Banda Filarmônica do RJ (inclusive atuando no Grupo de Metais desta Banda).

TÍMPANO

André Santos (Boxexa)

André “Boxexa” de Melo Santos: Licenciado em Música pela UniRio, bacharel em Comunicação Social pela UFRJ e mestre em Ensino das Práticas Musicais (PROEMUS-UNIRIO). É timpanista solista da Orquestra Sinfônica Nacional – UFF desde 1998. Como membro do sexteto Água de Moringa possui nove discos lançados internacionalmente. Integra o Carioca Jazz Trio e trabalhou por décadas com Wagner Tiso e Bibi Ferreira, apresentando-se com orquestras de todo o país e com os maiores artistas da música brasileira. Desde o início da carreira (OMB de 1986), tem atuado regularmente como instrumentista convidado em todas as orquestras profissionais do Rio de Janeiro. É professor da Escola de Música Villa-Lobos desde 1993, onde foi aluno de Edgard Nunes Rocca (“Bituca”) e Eliseu Moreira Costa.

PERCUSSÃO

Paulo Bogado (líder de naipe)

Paulinho Bogado, iniciou seus estudos em 1972 e a partir de 1978 transferiu-se para E. M. V. L ( Escola de Musica Villa Lobos), completando seus estudos de Harmonia e Percussão tendo como professores:  Edgar Nunes Roca (Bituca percussão), e  Eliseu Moreira Costa( Tímpanos) e Paraguaçu Abraão (Teclados) onde concluiu o curso  Básico de Percussão. Em 1992 ingressou na Escola de Música da UFRJ, onde concluiu com o professor José Claudio das Neves o curso Técnico Básico e o profissional de Percussão, e pratica de orquestra com o professor Roberto Duarte.  No mundo sinfônico, iniciou seus trabalhos na; O S J T M R J( Orquestra sinfônica Jovem do Teatro Municipal do RJ, sobre a Direção e Regência do Maestro Davi Machado. O S E M(Orquestra Sinfônica da Escola de Música da UFRJ). Orq. Sinf. do Teatro Municipal do RJ, Orq. Sinf. Brasileira, Orq. Filarmônica do RJ, Orq. Sinf. Petrobras Pró Musica, atualmente é percussionista titular da O S N U F F( Orquestra Sinfônica Nacional da Universidade Federal Fluminense).

Nirailton Nascimento

Sergio Naidin*

Karla Bach*

HARPA


Vanja Ferreira

 

Solista na OSN, prof. de harpa no Conservatório de Música de Niterói e doutoranda pela UNIRIO. Concertista com notória atuação no país gravou para RÁDIO MEC e TV BRASIL. Diretora artística do I Rio Harp Festival (2006) e Conferência Concurso Latino-Americano de Harpa (2010-2012/SC). Premiada no Rumos Música Itaú Cultural (2010-2012), realizou os projetos Você conhece a Harpa?, Muito Prazer, Eu sou a Harpa (2013) e integrou corpo docente nos Festivais de Domingos Martins/ES (2011), Coreto Paulista de Tatuí/SP (2014) e Conexões Musicais/RJ (2017/2018). Representou o Brasil na 24èmes Journées Internationales de la Harpe dans la Caraïbe et en Guyane (2016) e participou na XXII Bienal de Música Brasileira (2017). Atualmente, convidada pelo SESC Nacional, integra a turnê SONORA BRASIL 2019/2020.