Skip to main content
UFF - Universidade Federal Fluminense

OSN Popular Ary Barroso

Sessões:
17/04 (Qua) 19:30 - 18/04 (Qui) 19:30

 

Homenagem a Ary Barroso

“Pra machucar meu coração”, “No Rancho fundo”, “Na Baixa do sapateiro”, “No Tabuleiro da baiana” e  “É Luxo só” são alguns dos sucessos imortais de Ary Barroso (1903-1964). O artista é o grande homenageado do concerto da série OSN Popular, que a Orquestra Sinfônica Nacional da Universidade Federal Fluminense (OSN UFF) realiza sob regência de Rafael Barros Castro. As obras do programa foram escolhidas dentre as de maior destaque na vasta produção do compositor, com arranjos especialmente elaborados para a OSN. Destaque para “Aquarela (Fantasia Orquestral sobre o tema da Aquarela do Brasil)”, cujo arranjo é do maestro Castro e que terá sua estreia mundial nesta série.

“Logo que recebi o convite para escrever os arranjos e conduzir a OSN em sua gloriosa série OSN Popular, me senti duplamente honrado, pela grande oportunidade de saudar a obra desse relevante compositor popular brasileiro e por executá-la junto a esses estimados músicos”, afirma Rafael Barros Castro.

Rafael Barros Castro
(maestro, pianista, compositor e arranjador)
Iniciou os estudos musicais durante a infância, aos oito anos de idade no IMCP (Instituto dos Meninos Cantores “Canarinhos” de Petrópolis), onde recebeu as primeiras lições de teoria musical, canto, flauta doce e piano. Durante a juventude prosseguiu os estudos de teoria, harmonia e piano, dedicando-se integralmente a música. Na Pro-Arte (RJ), formou-se em técnica de regência com Carlos Alberto Figueiredo, e os estudos de aperfeiçoamento em piano ficaram sob a orientação da pianista Maria Teresa Madeira. Ingressou na UNIRIO (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro), onde obteve o diploma de bacharel em regência orquestral na classe do Prof. Dr◦. Ricardo Tacuchian, e nesse mesmo período realizou estudos de piano e repertório de câmara com a Prof.Dra. Ruth Serrão. No ano de 2002 foi laureado com o prêmio Bianca Bianchi de música de câmara em Curitiba-PR, como pianista do Duo Dassié-Castro (violão e piano). Recebeu do maestro eslavo Anton Nanut primorosas lições sobre técnicas de regência e repertório orquestral, e com isso ampliou o seu repertório de obras sinfônicas que hoje compreende um grande número de sinfonias clássicas até os principais compositores do século XX.

Desde 2005 é maestro titular e diretor artístico da OSRJ – Orquestra de Solistas do Rio de Janeiro, e foi responsável pela estreia de importantes obras, com destaque para: Camargo Guarnieri (Cantata Colóquio), Xavier Benguerel (As sete Fábulas de La Fontaine), montagem completa da obra “A História do Soldado” de IgorStravinsky, com narração, cena e dança (Teatro Municipal do Rio de Janeiro, 2007). Com a OSRJ vem realizando um trabalho sólido de difusão e acesso a música de concerto nacional e internacional, e também da música popular brasileira. Regeu como maestro convidado a OSN – Orquestra Sinfônica Nacional (UFF), a Orquestra Sinfônica da UNIRIO, Orquestra Sinfônica da Escola de Música da UFRJ (ORSEM), e Orquestra do projeto Multiplicidade (Oi Futuro). Destaca-se também como compositor de obras clássicas e populares, com execução frequente no Brasil e no exterior. No cinema colaborou como arranjador no premiado curta metragem americano HYPERGLOT (2014). No ano de 2015 lançou o seu primeiro CD autoral intitulado Rafael Barros Castro, com participações de: Elba Ramalho, Danilo Caymmi, Wilson das Neves, Rody da Mangueira, Jaime Alem e OSRJ. Colaborou com a editora Irmãos Vitale como consultor técnico na edição do Manual Ilustrado dos Instrumentos Musicais, Ed. Irmãos Vitale, 2009.

Sobre Ary Barroso:

(Por Rafael Barros Castro)

No rol dos grandes compositores populares brasileiros figura um mineiro nascido em Ubá, Ary Evangelista Barroso (1903-1964), dono de uma obra que atravessou fronteiras e apresentou o Brasil para o mundo, tendo na voz de Carmen Miranda uma de suas intérpretes de maior prestígio. Ary foi um artista multifacetado e brilhou também com jornalista esportivo, produtor e apresentador. O piano foi um companheiro dileto nas horas infindas de criação, mas também foi o seu ofício durante um bom tempo tocando em orquestras, no Cinema Íris e também na sala de espera do Teatro Carlos Gomes.

Sua obra mais executada, o samba exaltação “Aquarela do Brasil”, nasceu em uma tarde chuvosa na sua casa no Rio de Janeiro, e Ary sonhava com a possibilidade de uma gravação com orquestra, aos moldes das canções dos compositores americanos da época, até que o sonho se transformou em realidade quando, Walt Disney, incluiu a obra no filme de animação Alô Amigos.

 

PROGRAMA

RAFAEL BARROS CASTRO (1975)
Aquarela (Fantasia Orquestral sobre o tema da Aquarela do Brasil)

ARY BARROSO (1903-1964)
Isto aqui o que é

ARY BARROSO (1903-1964)
Pra machucar meu coração - Ary Barroso

ARY BARROSO (1903-1964) & LAMARTINE BABO (1904-1963)
No Rancho Fundo

ARY BARROSO (1903-1964)
No Tabuleiro da Baiana

ARY BARROSO (1903-1964)
Morena Boca de Ouro

ARY BARROSO (1903-1964)
Folha Morta

ARY BARROSO (1903-1964) & VINÍCIUS DE MORAES (1913-1980)
Rancho das Namoradas

ARY BARROSO (1903-1964)
Na Baixa do Sapateiro

ARY BARROSO (1903-1964)
É Luxo Só

17 e 18 de Abril de 2019
Quarta e Quinta | 19h30
Teatro da UFF
Rua Miguel de Frias, 9 - Icaraí, Niterói
Ingressos: R$30 | R$15 (meia)

VÍDEO

Sem vídeos no momento

Você também pode gostar...

Procure outras atrações

Notícias - Música

TEATRO DA UFF

Rua Miguel de Frias, 9, Icaraí – Niterói/RJ
344 lugares
Informações: 3674-7512 | a partir de 14h

0 COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

WordPress Video Lightbox Plugin