Skip to main content
UFF - Universidade Federal Fluminense

Música Livre - El Efecto & Meu Funeral

Sessões:
26/04 (Qui) 20:00

 

Um dos principais nomes da cena independente carioca dos anos 2000, El Efecto celebra 16 anos de trajetória independente, lançando seu quinto álbum de estúdio, intitulado Memórias do Fogo. O trabalho evidencia o aprofundamento do projeto da banda e apresenta mais um caldeirão de ritmos onde se misturam a pesquisa musical e o engajamento político.

Formada em 2002, na cidade do Rio da Janeiro, El Efecto tem o ecletismo como marca do seu trabalho. As composições são mergulhos nas mais distintas tradições e gêneros musicais, revisitados a partir de uma perspectiva contemporânea. De maneira geral, a estética da banda é a do rock. Mas a utilização de instrumentos como cavaquinho, violão, viola caipira, trompete, clarinete, flautas e percussões sintetiza a tentativa de fugir dos rótulos e caminhos predeterminados. O resultado disso é uma unidade onde se conjugam o lirismo e a contundência, uma mescla de climas onde se destaca a forte presença da música brasileira e latinoamericana. As letras propõem interpretações críticas das atitudes individuais e coletivas, movimentando-se entre a angústia e a esperança, o pessimismo da razão e o otimismo da luta. Não se trata de pensar a arte como um escape para as frustrações de uma vida resignada, mas sim de tomá-la como um estímulo, um ponto de partida para questionamentos e - por que não? - transformações concretas.

Essa característica se faz presente em O encontro de Lampião com Eike Batista, faixa de tons épicos, inspirada na literatura de cordel, que viralizou nas redes sociais em 2012, trazendo projeção nacional para a discografia da banda. Em junho de 2013, El Efecto foi indicado como Melhor Grupo de Rock no Prêmio da Música Brasileira. Pedras e sonhos, álbum da faixa viral, foi considerado um dos três melhores discos do gênero. Desde então, a banda vem expandindo seu público em apresentações por todo o país e algumas incursões internacionais no Equador, Argentina, Portugal e Espanha.

Após o hiato de um ano, dedicado à produção e gravação do novo álbum, El Efecto lança Memórias do Fogo. Para esse novo ciclo, a banda se amplia, fixando-se no formato de sexteto. O disco é uma coletânea de ritmos, indo do samba ao metal, evocando a potência cultural da música brasileira. Cada canção pretende se tornar uma chama, resgatando memórias para iluminar possíveis caminhos. O álbum, produzido por Patrick Laplan, Tomás Alem e a banda, e masterizado por Robert Carranza (Criolo, The Mars Volta, Ozomatli). Inspirado na trilogia de nome semelhante de Eduardo Galeano, que fala sobre a trajetória da América Latina, o álbum evoca a importância de cultivarmos a chama interior, seja para jamais esquecer que o mundo está pegando fogo, ou até mesmo, para juntos, incendiá-lo em algum sentido.

Todas as músicas do El Efecto estão disponibilizadas na internet e podem ser baixadas de forma gratuita, fato que corrobora com o objetivo de ampliar ao máximo a difusão do trabalho, para que a mensagem, ideias e os ideais circulem e o debate continue.

Formação da banda - Bruno Danton (voz, violão e viola), Cristine Ariel (guitarra, cavaquinho e voz), Eduardo Baker / Pedro Lima (baixo), Gustavo Loureiro (bateria), Tomás Rosati (voz, cavaquinho e percussão), Tomás Tróia (guitarra e voz)

Meu Funeral - formado em Niterói (RJ), por Lucas Araujo (RivoTrio 2mg), Jan Santoro (Facção Caipira) e Matheus Jorell (Filhos do Totem e ex-Lougo Mouro), o Meu Funeral tem como principal característica fazer músicas rápidas, com temáticas diversas abordadas com uma linguagem acessível e direta, sem cair no erro da simplificação de questionamentos complexos. A partir de vivências, leituras e debates, Lucas busca escrever de forma leve e verdadeira sobre temas que acredita que devem ser abordados ou sobre pensamentos e sentimentos que precisa expor.

Com músicas velozes, influenciadas principalmente pelo punk rock e hard core, a banda não se limita a rótulos, mesclando influências diversas como reggae, ska e indie rock. Fazendo questão de cantar em português e levantar a bandeira da resistência, em um país onde o número de bandas cantando em língua estrangeira tem crescido e se destacado, Meu Funeral busca o diálogo com seu país de origem e busca fomentar importantes debates, como a respeito da diversidade, da naturalização de condições que devem ser questionadas, da influência da tecnologia em nossas vidas, respeito e valorização da diversidade e o aprendizado que pode vir a partir do diálogo.

Após sua formação, a banda vem compondo diversas músicas e dia 20 de abril lança seu primeiro EP com sete músicas que passeiam entre o hard core melódico, o grind core e o ska. O EP foi gravado por Renan Carriço e Jan Santoro no Estudio Quintal. Já as artes são do artista plástico Pedro Varela.

26 de abril de 2018
Quinta – 20h
Teatro da UFF
Rua Miguel de Frias, 9, Icaraí – Niterói/RJ
Ingressos: R$ 30 | R$ 15 (meia)
Classificação etária: 16 anos
Informações: 3674-7512 | a partir de 14h

VÍDEO

Sem vídeos no momento

Você também pode gostar...

Procure outras atrações

Notícias - Música

0 COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

WordPress Video Lightbox Plugin