Skip to main content
UFF - Universidade Federal Fluminense

INTERCULTURALIDADES 2018

De 05/11/2018 a 11/11/2018

 

Corpo e Potências do Viver

“A estrutura de um corpo é a composição da sua relação. O que pode um corpo é a natureza e os limites do seu poder de ser afetado”
Deleuze, Espinosa e o Problema da Expressão

Interculturalidades é um encontro anual em torno da diversidade cultural brasileira. Em sua oitava edição, o evento se volta para o tema “Corpo e Potências do Viver”, em atividades que tomam o Centro de Artes UFF, em Icaraí, Niterói. Num país de dimensões continentais, as diferenças culturais são expressas na conformação das corporeidades que emergem como vozes, cores, etnias, gêneros e lugares sociais, que estão sempre em disputa, reafirmando seu espaço expressivo e rompendo com a ideia de padrão único, entendendo esse corpo como suporte da própria cultura e das identidades.

Como forma de acolher essas diferentes vozes e narrativas do viver, consideradas em sua potência e efervescência, a programação conta com o protagonismo de artistas, professores, estudantes, integrantes de movimentos sociais e agentes das periferias, nas mesas, shows, exposições, performances, oficinas e feira intercultural.

 

Dia 5 de novembro (segunda)

  14h - Teatro da UFF
Abertura Institucional
 

15h - Teatro da UFF
Performance em Libras

A contação de história é feita inteiramente em libras e é voltada para ouvintes e não-ouvintes, emocionando ambos os públicos. Bruno Ramos é graduado em Letras Libras (2011) e mestrado em Estudos da Tradução com pesquisa em “O uso de transferências em narrativas produzidas em língua brasileira de sinais” (2016) pela Universidade Federal de Santa Catarina- UFSC

 

15h - Teatro da UFF
UFF Debate Brasil - Mesa: O que pode o corpo?

Se não somos livres por natureza, pois a liberdade é uma conquista, que conjugação de forças o corpo pode potencializar, frente à dominação dos dispositivos biopolíticos de sujeição e controle, sobretudo hoje, pelos meios de comunicação de massa? “O que pode um corpo?”, foi a pergunta formulada pelo filósofo Spinoza no Século XVII. Constituição de autonomia, formas alternativas de vida e práticas de resistência podem ser algumas das respostas dos sujeitos na atualidade. Para a mesa de debate haverá acessibilidade com intérpretes de Libras.
 

17h30 - Varanda Cultural
Oficina de Stencil - Memória Guerreira

O projeto ‘Memória Guerreira’ nasce da neces- sidade de criação de rede, de enredamento de histórias e vivências de rua e arte entre mul- heres. A proposta do projeto neste primeiro momento é produzir um mural com figuras de mulheres negras que moveram estruturas no Brasil.

 

19h - Abertura das Exposições

Galeria de Arte UFF Leuna Guimarães dos Santos

Corpos no Mundo - de 5 a 18 de novembro

Inspirada no Museu da Empatia e no Museu da Pessoa, a Instalação Corpos no Mundo, que já passou pela Universidade Federal Fluminense, agora chega ao Centro de Artes para promover essa troca tão incrível entre o visitante e a obra. A Instalação vem para deslocar e colocar cada pessoa frente a frente com a história do outro. Nessa instalação, o outro deixa de ser apenas o outro e passa a fazer parte de você. É hora de ouvir, refletir e sentir.

In.corpo.rar: exposição viva - de 5 a 18 de novembro

‘In.corpo.rar: exposição viva’ é uma exposição idealizada por alunos de Produção Cultural da UFF com o objetivo de afirmar as potências do corpo marginal enquanto arte. Vida e obra superam o silenciamento através da existência coletiva, o apagamento será retratado e a resistência evidenciada por meio de um segundo momento da exposição, sábado dia 10. O público encontrará obras que perpassam temas como raça, gênero, sexualidade, ancestralidade, formas, territórios, sagrado e profano, sempre com o entendimento do corpo que compartilha tais vivências como um sujeito do fazer artístico.

Espaço UFF de Fotografia Paulo Duque Estrada

Corpoema - de 5 a 18 de novembro

Corpoema é o título de uma exposição de fotografias (15) em preto e branco, do artista-curador Pierre Crapez. Trata-se do registro fotográfico realizado no estúdio de fotografia da UFF em 2012 de uma performance da poeta Beatriz Provasi que realizou um rito poético que consisti em raspar o corpo, desnudando o para o transformar como suporte de um texto poético. A exposição é o resultado dessa parceria, acompanhada das poesias da artista performática, inscritas em seu corpo e mostrado em uma projeção, e também de uma poesia do fotografo na parede, realizada na ocasião.
  20h - Jardim da Reitoria
VideoMapping + Soundpainting

Dia 6 de novembro (terça)

 

14h - Varanda Cultural
Oficina de Ritmos Brasileiros

Roseira D’Água  

Somos a Roseira D’Água, grupo formado por brincantes – dançarinos, músicos,  arte-educadores, pesquisadores das culturas de matrizes ancestrais brasileiras. Reunimos o grupo na cidade de Niterói - RJ  e realizamos apresentações, rodas culturais, oficinas de danças com ritmos musicais

apresentaremos o espetáculo interativo“Encantos da Roseira", que passeia pelos ritmos do Brasil, levando para o público algumas tradições brasileiras como  Bumba-meu-Boi e Cacuriá do Maranhão, Carimbó do Pará, Coco e Ciranda de Pernambuco dentre outros; Apresentando a diversidade cultural do Brasil  através dessas danças, ritmos musicais e lendas do norte e nordeste do país.

Refletindo com este conteúdo sobre a preservação da fauna e flora brasileira, e a importância de valorizarmos os seres que nelas habitam, assim como sua diversidade social e cultural.

 

15h - Teatro da UFF
UFF Debate Brasil - Mesa: Corporeidade, Gênero e Potências do Viver

O objetivo dessa discussão é pensar o corpo como um território político, de resistência e de construção de um espaço social que acolha as diferenças, o plural. Apostar na constituição de um ser em movimento e um corpo múltiplo, criador e expressivo, afirma a potência nas composições e agenciamentos que é capaz de produzir. Para a mesa de debate haverá acessibilidade com intérpretes de Libras.

  17h30 - Varanda Cultural
Oficina de Vogue
 

20h - Teatro da UFF
Mahmundi
Ingressos R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)
Venda de ingressos online

Marcela Vale conhecida pelo nome artístico Mahmundi é uma cantora e compositora brasileira. Num estilo próprio, flerta com a música eletrônica, indie, lo-fi e a poesia reflexiva brasileira, além de influências da música oitentista. Chegou a ser comparada à Marina Lima e Rita Lee.

Dia 7 de novembro (quarta)

 

15h - Teatro da UFF
UFF Debate Brasil - Mesa: Corpos Pretxs

A mesa tem como proposta debater as questões da negritude e da racialização dos corpos pela perspectiva dos atravessamentos das identidades de gênero, de classe social e de território, através da fala de atores sociais que, a partir da afirmação de suas identidades, constroem caminhos de resistência e expressão artística. Para a mesa de debate haverá acessibilidade com intérpretes de Libras.

  17h - Varanda Cultural
Oficina com Slam das Minas
 

19h - Varanda Cultural
Apresentação do Slam das Minas

Slam das Minas é uma batalha lúdico poética organizado por Carol Dall Farra, Débora Ambrósia, Genesis, Letícia Brito, Lian Tai, Rejane Barcellos e DJ Bieta. Na busca de um espaço seguro e livre de opressões para desenvolvimento da potência artística de mulheres [ heteras, lésbicas, bis, ou trans] pessoas queer, agender, não bináries e homens trans optou-se pela ocupação da rua para acabar com a invisibilidade dessas pessoas e para estimular os encontros e afetos. Com participação de poetas, musicistas, performers e transeuntes, o microfone aberto para o empoderamento.

 

20h - Teatro da UFF
Bia Ferreira
Ingressos R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)
Venda de Ingressos online

Bia Ferreira é cantora, compositora e ativista sergipana. Define sua música como MMP: Música de Mulher Preta. Faz uso de sua música para educar, conscientizar e passar informações a respeito das demandas de luta do movimento anti-racismo no Brasil. Multi-instrumentista, trabalha com música desde 15 anos. Em ascensão no circuito independente, já participou do Pulso Redbull Music, do Vento Festival 2018 e faz shows ao redor do país.

Dia 8 de novembro (quinta)

  14h - Varanda Cultural
Oficina de Rumba (dança congolesa)
  15h - Jardim da Reitoria
Oficina Òrunmilá (percussão e dança afro)
 

18h - Varanda Cultural
Moça Prosa + roda de samba do Quilombo do Grotão

Originado das rodas de samba da Pedra do Sal , o grupo Moça Prosa é um movimento de samba feminino que se estabeleceu na histórica região da Praça Mauá, no Rio de Janeiro, em 2012.

Dia 9 de novembro (sexta)

 

14h - Varanda Cultural
Oficina de DJ: Oficina das Minas

Em formato de workshop, com projeções expositivas e demonstrações práticas, o coletivo Oficina das Minas, que vem ganhando destaque na cidade do Rio de Janeiro, ensina às mulheres a prática da discotecagem, desafiando um ambiente predominantemente masculino e cada vez mais disperso na era do streaming e das playlists. Número de vagas limitado a 25 meninas.

 

16h30 - Varanda Cultural
Oficina de DJ: Fúria Hip Hop

A oficina apresentará os equipamentos e mídias mais usadas na Arte/Profissão de DJ, além de técnicas de mixagens e suas variáveis, fazendo uma pequena introdução à teoria musical, como um esclarecimento sobre ritmos que mais se ouvem nas pistas de danças.

  19h - Varanda Cultural
Coletivo Favela Dança
  19h30 - Teatro da UFF
Aika Cortez
 

20h - Teatro da UFF
BNegão Trio
Ingressos R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)
Venda de ingressos online

A música que reúne o som dos ancestrais, do presente e do que ainda está por vir é o que rege este projeto de BNegão. O carioca chamou Pedro Selector (trompetista dos Seletores de Frequência) e DJ Castro (ex-Quinto Andar e Black Alien) para montar um setlist que reúne todas as possibilidades que envolvem três vozes, um instrumento de sopro e um par de toca-discos. É isso o que acontece quando se juntam esses três sujeitos: música que vai do mais urgente som pras pistas, até batidas que transportam o ouvinte para outras paisagens, na base do dub jamaicano somado ao jazz.

Dia 10 de novembro (sábado) - R$ 2 (preço único para o dia inteiro)

 

16h - Teatro da UFF
Porões

  17h - Teatro da UFF
Anexo Secreto de Anne Frank

O espetáculo nos traz o relato da segunda guerra sob os olhos de uma jovem que viveu seus últimos anos confinada em um esconderijo, mas, mesmo assim, não se deixou perder a esperança em um mundo melhor. A importância da obra se dá principalmente ao notar que esta personifica os milhões de judeus, vítimas do holocausto, mostrando não só o cenário de guerra, mas as questões pessoais comuns a qualquer jovem desta idade. O espetáculo é encenado por 4 Anne’s, que representam a pluralidade e diversidade dentro de uma única pessoa.

 

18h - Teatro da UFF
Coletivo TransParente

A esquete surge da necessidade de se discutir as diferentes facetas do machismo sofrido pelas diferentes mulheres em seu dia a dia, mostrando, de forma interseccional, o quão interlaçadas estão as opressões.

 

18h30 - Teatro da UFF
Tentáculos em Transe - Poesias

Justo D’Ávila, Samuel Averbug e Nylaia_SPA são integrantes do grupo multiarte Boato. Eles vão apresentar, pela primeira vez nesse arranjo de três componentes, um espetáculo pocket com poemas, músicas autorais e performances. Participação do flautista Zu.

 

19h30 - Teatro da UFF
Banda Joana Getúlio

A banda Joana Getúlio é o encontro de atores e músicos numa banda performática, onde as canções ganham representações teatrais, suas letras transformam-se em poesias e onde cenas ganham musicalidade. São fundamentais as palavras: Liberdade e diversidade – no repertório e no contexto artístico e social em que se encontra a banda. A forma de abordar as canções e cenas é a diversidade (artística, sexual e cultural). Influenciada pela comédia vaudeville, pelo teatro do desbunde e pelos grandes artistas performáticos da noite carioca, esta banda pesquisou e se baseou em grandes mestres do gênero artístico que transforma em performance os temas sociais, políticos e culturais de nossa sociedade.

 

19h50 - Teatro da UFF
Coletivo MUANES Dançateatro

Sempre é preciso avivar e criar memória, num país onde tudo ou quase tudo se desfaz em vagas lembranças e memórias seletivas. Entendemos que a dança mais que uma profissão é um modo de vida e através dela, a dança, histórias pessoais e memórias de esquecimento, podem ser contadas. Assim, o corpo que dança encontrará um eco particular neste contexto repleto de vivências e construirá seu gesto dramático à procura do que está e o que não está mais, do que desapareceu.

 

20h30 - Teatro da UFF
Pacha Ana

MC, cantora, compositora e poetisa matogrossense, nascida em Rondonópolis  e atualmente reside na capital Cuiabá. Semifinalista do Slam BR 2017, Pacha faz um trabalho social com o Hip Hop e a poesia marginal ensinando essa arte para crianças e jovens. Em 2018 lançou seu primeiro disco, Omo Oyá, que conta com poesias e músicas que relatam suas vivências enquanto mulher preta.

Dia 11 de novembro (domingo)

 

FEIRA INTERCULTURAL

ATIVIDADES

10h30: Encontro de Corais no Cine Arte UFF
Ingressos R$ 7 (preço para todos)

Coro da UFF - regente Márcio Selles; Coro da Grota - regente Raquel Terra; Coro da Escola Nossa - regente Tomás Guisasola; Excêntricos - regente Luiz Carlos Pessanha; Coral de Crianças Mbya-Guarani - regente Felix Karai Brisuela.

10h às 12h: O Círculo - Brincadeiras circenses e oficina de bambolê

14h às 16h: Coco de São Gonçalo - Roda de Coco

16h às 20h: Show Rabecaria e Forró Maravilhas

Rabecaria: Banda que mistura o forró de rabeca com um instrumento clássico, o violino. Além de fazer música popular, a Rabecaria se coloca como um coletivo de pesquisa através da música de rua, se tornando mais um projeto do que somente uma banda. Um coletivo aberto de pesquisa com música popular.

OFICINAS

10h às 12h: Oficina Caligrafia Árabe com Mohammed Jazouli - A oficina de caligrafia árabe é apresentada pelo refugiado Mohammed El Jazouli, representante da cultura marroquina. Mohammed transmite sua escrita para interessados no Rio de Janeiro por meio de aulas de idioma e oficinas.

12h às 14h:  Percussão com Papa Babou Seck e Bob Selassie -  A oficina de percussão tem como músicos dois grandes representantes da cultura haitiana e senegalesa, Bob Selassie e Papa Babou Seck. Griô, músico e artesão, Papa Babou transmite com a sua arte a ancestralidade e a estética tradicional do Senegal. Além disso, é professor de djembé, dança e canto. Bob Selassie, traz em seu dom musical a diversidade sonora haitiana. Além de professor de percussão, é DJ de ritmos africanos. 

14h - 16h: Mesa Voz Refugia - A roda de conversa contará com a presença de Mohammed El Jazouli e Mariamah Bah, refugiados que vivem no Brasil e tiveram suas histórias retratadas através da peça Uma Odisséia e do curta metragem Nós Refugiados. Para falar sobre o processo criativo e do registro das obras, estarão presentes, a diretora e dramaturga Alessandra Vannucci, o fotógrafo Dalton Valério, ambos do  Laboratório de Estética e Política (LEP/ECO-UFRJ) e Ângela Vascelos, coordenadora do Laboratório de Políticas Públicas, Migrações e Refúgio (PROPPi/CNPq) e coordenadora da Cátedra Sérgio Vieira de Mello - UFF - ACNUR.

EXPOSITORES DA FEIRA INTERCULTURAL:

Adalgisa Marques

Artesanato Guarani

Cantu Mudas

Carla Santana

Caule

Do Quintal Geleias Gourmet

Feijão com Arroz Brinquedos

Graça - Fibra de Bananeira

Guarani Ara Howy

Mais que Empada

Mandalas da Dinha

Mandinga BioJóias

Mariana Bah

Marias di Carola

Mulambo

Ocupá Espalha N'goma

PANCS Brasil

Puro Mato Cosméticos

Qui Nem Jiló Alimentação Vegetariana

Sitio Maravilha Produtos Artesanais;

VÍDEO

Sem vídeos no momento

Você também pode gostar...

Procure outras atrações

Notícias - Projetos Especiais

0 COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

WordPress Video Lightbox Plugin