Skip to main content
UFF - Universidade Federal Fluminense

Amelinha - De primeira grandeza, as canções de Belchior

Sessões:
20/07 (Sab) 20:00 - 21/07 (Dom) 19:00

 

Amélia Cláudia Garcia Colares, a Amelinha, nasceu na cidade de Fortaleza, Ceará. De família musical, com 12 anos formou um trio vocal com sua irmã Silvia e mais uma amiga, para se apresentarem em festas nas escolas. Quando se mudou para São Paulo, onde fez curso para vestibular objetivando cursar a faculdade de comunicações, continuou cantando sempre incentivada pelos amigos. Em 1975, Amelinha começou, efetivamente, sua carreira artística, acompanhando Vinícius de Moraes e Toquinho, em seu primeiro trabalho profissional como cantora, em Punta Del Este, Uruguai.

No ano seguinte, 1976, lançou seu primeiro disco, Flor da paisagem, que teve vendagem modesta, mas já apontava para um grande futuro. Frevo Mulher, de 1979, foi uma febre nacional, que lhe rendeu o primeiro Disco de Ouro de sua carreira. O fenômeno aconteceu em 1980, quando Amelinha levantou a plateia do Maracanãzinho, no Festival MPB 80, cantando Foi Deus que fez você, sucesso que se tornou marca registrada da cantora, lançado em compacto homônimo seguido do álbum Porta secreta, ambos Disco Quádruplo de Platina, com mais de um milhão de cópias vendidas. Em 1982, emplacava outro Disco de Ouro com o tema de abertura do seriado Lampião e Maria Bonita, da Rede Globo, Mulher nova, bonita e carinhosa, faz o homem gemer sem sentir dor.

Em 1983, veio o disco Romance da Lua Lua, que tinha como característica principal a afinidade da cantora com as poesias que falam essencialmente de coisas que têm como cenário a lua e toda sua energia. No ano seguinte, Amelinha emplaca outro sucesso em todas as rádios AM e FM do país, com a música Água e Luz. E assim transcorreu a década de 1980, com Amelinha gravando composições de Fagner, Djavan, Gonzaguinha, Elomar, Geraldo Azevedo e Moraes Moreira, entre outros.

Em 1994, Amelinha lançou Só forró, seu décimo CD, com um projeto arrojado de volta à riqueza da música nordestina, realizando um velho desejo de Gonzagão, que sempre quis que a cantora gravasse suas músicas.

Outros lançamentos vieram, porteriormente: Cobra de chifre (1996), Amelinha (1998), Vento, forró e folia (2002) e o álbum Janelas do Brasil (2012), onde Amelinha brilhou com temas inéditos de Alceu Valença, Chico César e outros grandes compositores.

20 e 21 de julho de 2019
Sábado, às 20h, e domingo, às 19h
Teatro da UFF
Rua Miguel de Frias 9, Icaraí, Niterói - RJ
Ingressos - R$50,00 (inteira) e R$25,00 (meia-entrada)
Classificação etária - Livre

VÍDEO

Sem vídeos no momento

Você também pode gostar...

Procure outras atrações

Notícias - Música

TEATRO DA UFF

Rua Miguel de Frias, 9, Icaraí – Niterói/RJ
344 lugares
Informações: 3674-7512 | a partir de 14h

0 COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

WordPress Video Lightbox Plugin